PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Volta da Fórmula E tem campanha contra discriminação e show lusitano

05/08/2020 22h17

Após 158 dias de interrupção, devido à pandemia do novo coronavírus (covid-19), a temporada 2019/2020 da Fórmula E foi retomada nesta quarta-feira (5), em Berlim (Alemanha), com a primeira de seis provas a serem disputadas até 13 de agosto. No retorno, a categoria de carros elétricos lançou uma campanha de enfrentamento à discriminação, com a hashtag #PositivelyCharged (carregados positivamente, em tradução livre).

O vídeo da campanha tem participação de técnicos, engenheiros, diretores e dos pilotos da Fórmula E. Entre eles, os brasileiros do grid: Lucas Di Grassi, Felipe Massa e Sérgio Sette Câmara, este último contratado durante a paralisação do campeonato.

"Estamos unidos contra a discriminação de qualquer forma e nutrindo uma cultura de inclusão que celebra a diversidade em todas as formas. Sabemos que essa é uma corrida sem linha de chegada, mas não significa que não possamos ir mais rápido", diz a mensagem do vídeo, cuja hashtag faz parte do movimento #PurposeDriven, da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), que visa iniciativas que tornem a modalidade mais inclusiva e sustentável.

Outra campanha que integra o movimento é a #WeRaceAsOne, da Fórmula 1. Antes do Grande Prêmio da Inglaterra, disputado no último domingo (2), a categoria divulgou um vídeo com os pilotos declarando comprometimento no combate ao racismo. Dono de seis títulos mundiais e único negro do grid, o inglês Lewis Hamilton é a principal voz das manifestações, ajoelhando-se em protesto ou erguendo o punho no pódio.

Vitória portuguesa

Antes da largada, o grid da Fórmula E prestou homenagem, em silêncio, "em respeito àqueles que tragicamente perderam para o coronavírus, em reflexão ao desafio do [enfrentamento ao] racismo e em rejeição à discriminação em todas as suas formas", diz a categoria. Alguns pilotos se ajoelharam durante a pausa, como o francês e atual bicampeão Jean-Eric Vergne, o belga Stoffel Vandoorne e o holandês Nyck de Vries. Os dois últimos são da equipe Mercedes, a mesma que Hamilton defende na Fórmula 1.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A moment for reflection. #PositivelyCharged #ABBFormulaE

Uma publicação compartilhada por ABB Formula E (@fiaformulae) em

Na pista do autódromo de Tempelhof, que fica no aeroporto de Berlim, Antônio Félix da Costa levou a melhor. Líder da temporada, o português da equipe Techeetah não só fez a pole position como venceu a prova e fez a volta mais rápida. O alemão André Lotterer, da Porsche, chegou em segundo, com o inglês Sam Bird, da Envision, completando o pódio.

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

GANHAMOS!!!!!!! 2a vitoria consecutiva! Olhos posto no objetivo final! . . . VICTORY!!! Soo happy! Thanks team!

Uma publicação compartilhada por Antonio Felix da Costa (@afelixdacosta) em

O melhor brasileiro foi Lucas Di Grassi, da Audi, que terminou em oitavo, na zona de pontuação, após largar em 20º. O estreante Sérgio Sette Câmara, da Dragon, concluiu a prova em 19º. Já Felipe Massa, da Venturi, estava entre os 10 primeiros quando abandonou a corrida, após parar no muro.

Com a vitória desta quarta, a segunda consecutiva no campeonato, Félix da Costa disparou na liderança geral de pilotos, com 97 pontos, 41 a frente do neozelandês Mitch Evans, da Jaguar. Di Grassi está em oitavo, com 42 pontos. Massa é o 19º, com um ponto. Sette Câmara, como passou em branco na corrida de estreia, ainda está zerado.

A temporada da Fórmula E segue nesta quinta-feira (6) com mais uma prova no aeroporto de Berlim, no mesmo traçado. Depois, serão dois dias de intervalo e dois de corrida, no mesmo lugar, mas com um layout diferente de pista. A competição segue até dia 13, com portões fechados e, segundo a categoria, "rigorosas medidas de segurança".

Notícias