PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Outro inspetor geral do Departamento de Estado dos EUA renuncia abruptamente

05/08/2020 19h27

Washington, 5 Ago 2020 (AFP) - O chefe do órgão de vigilância interna do Departamento de Estado dos Estados Unidos, que atualmente investiga acusações contra o secretário Mike Pompeo, renunciou abruptamente nesta quarta-feira (5), apenas alguns meses após a demissão de seu antecessor.

O agora ex-inspetor geral interino do Departamento de Estado, Stephen Akard, é ex-assessor do vice-presidente Mike Pence e sua nomeação em maio foi vista como uma maneira de ter uma figura de destaque neste cargo.

Akard informou aos seus colegas que "retorna ao setor privado depois de anos de serviço público", disse um porta-voz do Departamento de Estado. "Apreciamos sua dedicação ao Departamento e ao nosso país", acrescentou.

"Foi embora para voltar para casa. Isto acontece. Não tenho nada mais a acrescentar", disse Pompeo a jornalistas sem dar maiores detalhes.

Um porta-voz do Departamento de Estado destacou que Akard "retorna ao setor privado após anos de serviço público". "Apreciamos sua dedicação ao Departamento e nosso país", acrescentou.

Robert Menéndez, principal democrata no Comitê de Relações Exteriores do Senado, destacou o que considerou ser uma "crise de liderança" no Departamento de Estado e prometeu que o Congresso trabalharia para garantir uma investigação independente após a saída de Akard.

"Não acho que ele tenha sido indicado para chefiar o escritório, mas me preocupa que sua renúncia repentina seja outra oportunidade para que a administração (de Donald) Trump tente debilitar a supervisão e a prestação de contas", disse Menéndez em um comunicado.

A partida de Akard ocorre justamente quando o escritório que chefiava finaliza um relatório sobre a polêmica decisão de Pompeo de contornar o Congresso para vender armas à Arábia Saudita e outros aliados árabes por US$ 8,1 bilhões.

Em maio, o presidente Donald Trump demitiu o antecessor de Akard, Steve Linick, a conselho de Pompeo. Linick também investigava as acusações de que Pompeo abusou de seu poder ao pedir a um funcionário do Departamento de Estado que fizesse tarefas pessoais, como passear seu cachorro e ir à lavanderia.

Pompeo, que adiou uma coletiva de imprensa desta quarta-feira quando soube da notícia, disse que não aprovava o trabalho de Linick e que Trump tinha autoridade para demiti-lo independente do motivo.

Na semana passada, um ex-assistente de Pompeo disse aos legisladores que investigam a demissão de Linick que funcionários do Departamento de Estado haviam manifestado sua preocupação com a venda de armas à Arábia Saudita.

Os legisladores alertaram que isso causaria mais sofrimento no Iêmen, onde uma campanha aérea liderada pela Arábia Saudita afetou escolas, hospitais e outros locais civis enquanto o reino tenta expulsar os rebeldes houthis.

Pompeo evitou o Congresso ao declarar uma emergência envolvendo o Irã, que apoia os houthis.

A nova inspetora geral interina será Diana Shaw, advogada e com longa trajetória no Gabinete do Inspetor Geral. Ela estava, na verdade, na fila para ser inspetora geral interina quando Linick foi demitido e justamente por isso a chegada de Akard gerou suspeitas.

Akard, que é natural do estado de Pence, Indiana, e foi seu assessor quando era governador, também renunciou ao cargo de chefe do Escritório de Missões Estrangeiras do Departamento de Estado, que lida com as embaixadas.

sct/ad/gm/aa/mvv

Notícias