PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Correção: Outra aérea regional dos EUA sucumbe à recessão

Justin Bachman

04/08/2020 08h32

(Bloomberg) -- (Corrige sétimo parágrafo para informar que os pilotos da CommutAir são membros da Air Line Pilots Association.)

Para o diretor-presidente da ExpressJet Airlines, é improvável que as três grandes companhias aéreas dos Estados Unidos desmantelem o modelo de operadoras regionais em breve, desde que se apoiem em enormes aeroportos para gerar lucros. A ExpressJet é uma das maiores aéreas regionais dos EUA, mas planeja encerrar as operações neste ano.

A ExpressJet é a quarta companhia aérea regional dos EUA a entrar em colapso desde que a pandemia de Covid-19 paralisou as viagens aéreas. Por meio de uma subsidiária, a United Airlines controla 49,9% da ExpressJet, que foi comprada da SkyWest no fim de 2018 para reforçar voos regionais. A United decidiu encerrar as operações da ExpressJet como parte da ampla reestruturação desencadeada pela pandemia.

A companhia aérea regional - ex-Continental Express - já esteve entre as 10 maiores do mundo em tamanho de frota, com mais de 400 aeronaves. Também operou como aérea independente e com voos charter em vários momentos de sua história. Mas as coisas mudaram.

"É uma empresa antiga e orgulhosa que tem mais vida do que um gato", afirmou o diretor-presidente Subodh Karnik na segunda-feira. Ele prometeu uma transição ordenada para os 131 jatos do modelo 145 da Embraer da frota e para a "montanha de peças" que subarrendou da United.

Não está claro quantos ERJ-145 de 50 lugares da ExpressJet podem ser transferidos para a CommutAir, outra aérea regional na qual a United detém participação, ou quantos a United irá aterrar. Essas decisões também podem afetar quantos pilotos e comissários de bordo continuam trabalhando: a ExpressJet, com sede em Atlanta, possui 2,8 mil funcionários ativos.

A United alertou no mês passado que consolidaria suas operações com os jatos de 50 assentos da Embraer em apenas uma companhia aérea, o que levou a ExpressJet e sindicatos a elaborarem rapidamente propostas para ficar com a operação. Na quinta-feira, um porta-voz da United disse que a CommutAir "operará uma frota que corresponda ao atual ambiente de demanda". Antes da pandemia, mais da metade das partidas diárias da United era realizada por aéreas regionais.

"Uma companhia aérea que voa há 33 anos vem com um grupo maduro de pilotos e contrato", disse Joe Mauro, presidente do grupo da ExpressJet na Air Line Pilots Association (ALPA), em memorando aos membros. "Embora isso seja algo de que nos orgulhemos, deve ter sido visto como negativo pelos tomadores de decisão da UAL." Os pilotos da CommutAir também são membros da ALPA.

Ainda no fim de fevereiro, a United e a ExpressJet haviam anunciado planos para consolidar todos os aviões da Embraer de 50 lugares da United na companhia aérea regional e modernizar as cabines dos jatos com entretenimento a bordo.

©2020 Bloomberg L.P.

Notícias