PUBLICIDADE
Topo

Notícias

SP: PCC ataca banco e cerca batalhão em Botucatu após apreensões de drogas

do UOL

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

30/07/2020 02h34Atualizada em 30/07/2020 14h49

Uma ação com integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital) cercou um batalhão da PM (Polícia Militar) e atacou uma agência do Banco do Brasil na madrugada de hoje, em Botucatu, cidade a cerca de 240 quilômetros da capital paulista. Houve intenso tiroteio.

Segundo a Polícia Civil, os ataques têm ligação direta com as toneladas de drogas apreendidas pela PM nas últimas semanas. Ainda de acordo com a polícia, a facção criminosa está tentando repor o dinheiro perdido com as drogas em ataques a caixas eletrônicos.

A polícia diz, ainda, que é possível que seja uma ação orquestrada por uma quadrilha especializada de roubo a banco que receba auxílio da facção. Investigações em andamento devem apontar a motivação do crime e seus responsáveis.

Segundo o promotor Lincoln Gakiya, é possível que tenha envolvimento de integrantes do PCC na ação, mas ainda é cedo para dizer se foi um crime orquestrado e financiado pela facção.

O secretário da Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, afirmou à imprensa que "nós nunca apreendemos tanta droga como de janeiro a junho deste ano de 2020. Ou seja, estamos dando uma pancada dura no crime. Nosso papel é enfraquecê-los ou enfrentá-los. Isso vai continuar cada vez mais".

30.jul.2020 - Arma com marca "1533", do PCC, apreendida após assalto a banco em Botucatu - Divulgação - Divulgação
30.jul.2020 - Arma com marca "1533", do PCC, apreendida após assalto a banco em Botucatu
Imagem: Divulgação

Criminosos se escondem em mata

Moradores da região relataram nas redes sociais ter ouvido tiros e explosões. Vídeos foram compartilhados mostrando barulhos de tiros. Na fuga, segundo a PM, os criminosos se esconderam em área de mata na região do rodovia Marechal Rondon e continuavam sendo procurados até esta publicação.

Segundo a PM, entre 30 e 40 assaltantes participaram da ação. Os ladrões estavam fortemente armados e usavam máscaras e coletes à prova de balas. Dois policiais ficaram levemente feridos após trocar tiros com os assaltantes. Eles estão fora de risco.

A polícia afirmou que os criminosos fizeram reféns durante a ação, mas não há relatos de vítimas feridas. "Um bandido foi ferido em confronto e foi socorrido. É o primeiro preso", disse o delegado seccional de Botucatu, Lourenço Talamonte, à rádio Bandeirantes.

"Aqui tem várias rotas de fuga. Então, a gente está utilizando o helicóptero Águia da PM, que está sobrevoando a área, as matas e inúmeras viaturas aqui fazendo as buscas nessa grande operação para prender essa quadrilha", afirmou o delegado.

Ainda segundo ele, apesar de o alvo do roubo ser apenas uma agência do Banco do Brasil, houve quatro locais de confronto. "O valor [roubado] a gente não tem como precisar ainda. Tem contar todo esse dinheiro que foi apreendido, localizado em locais distintos", disse.

"A gente vai procurar agir com cautela para que não ocorra algo pior. Trabalhar com segurança e poder prender sem que nenhuma vida, nenhum cidadão aqui de Botucatu se perca", complementou.

Caminhão usado como bloqueio

A ação dos criminosos começou no final da noite de ontem, por volta das 23h40. Os assaltantes renderam um caminhoneiro na rodovia Marechal Rondon. O veículo dele foi incendiado para impedir a passagem de veículos.

Os criminosos abandonaram dois veículos na frente de um batalhão da Polícia Militar da cidade. Eles colocaram fogo em um dos carros para impedir a saída dos policiais do batalhão.

Policiais militares de outras unidades foram acionados e trocaram tiros com os criminosos. Membros da Rota (Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar) e policiais civis da área de operações especiais foram acionados para auxiliar nas buscas aos assaltantes.

Em nota, a Prefeitura de Botucatu pediu que os moradores da cidade "permaneçam em suas casas e não procurem possíveis pontos danificados pela cidade". "[A medida é] para que isso não coloque em risco a segurança de todos e não interfira no trabalho das forças de segurança."

Notícias