PUBLICIDADE
Topo

Amaldiçoado? McLaren Senna teve recall por incêndio e série de acidentes

Acidente com McLaren Senna de Adrian Sutil no último fim de semana não foi o único caso de destruição do supercarro com produção limitada - Reprodução
Acidente com McLaren Senna de Adrian Sutil no último fim de semana não foi o único caso de destruição do supercarro com produção limitada Imagem: Reprodução
do UOL

Alessandro Reis

Do UOL, em São Paulo (SP)

28/07/2020 14h26

O acidente com o ex-piloto de F1 Adrian Sutil, que destruiu um raríssimo McLaren Senna LM no último fim de semana em Mônaco, não foi o único caso de sinistro envolvendo o superesportivo.

O modelo com chassi e carroceria de fibra de carbono, com potência em torno de 800 cv e projetado para priorizar o desempenho nas pistas, teve em maio um recall após casos de incêndio e outros exemplares já foram detonados por outras razões. Estaria o cupê amaldiçoado?

O McLaren Senna, concebido em homenagem ao ex-piloto brasileiro morto em 1994, tem apenas 500 exemplares produzidos no mundo todo, dos quais quatro foram vendidos para clientes brasileiros por mais do que R$ 8 milhões cada.

O Senna foi eleito "Destaque do Público do Salão do Automóvel" no Prêmio UOL Carros de 2018.

A versão de Sutil, feita em homenagem ao McLaren F1 LM da década de 1990, é ainda mais exclusivo: teriam sido produzidas somente 20 unidades do bólido.

Confira outros casos em que o carrão deu PT ou sofreu danos consideráveis:

Porrada logo após deixar concessionária

McLaren Senna acidente alemanha - Reprodução - Reprodução
Motorista bateu Senna em um muro horas depois de retirar o veículo da concessionária
Imagem: Reprodução

Em outubro de 2018, logo pouco depois do lançamento do Senna, o proprietário de um exemplar azul-escuro bateu o veículo em um muro horas depois de retirá-lo da concessionária em Munique, na Alemanha.

A batida teria acontecido quando o hodômetro marcava menos do que 100 km rodados. Fotos publicadas nas redes sociais mostram que os airbags foram acionados e os danos se concentraram na dianteira - o motor 4.0 V8 biturbo é instalado entre os eixos atrás dos bancos, portanto não foi danificado.

O dono não sofreu ferimentos graves.

Ainda assim, na época a estimativa para reparo foi de 850 mil euros (cerca de R$ 5,15 milhões no câmbio de hoje) ou quase o valor do carro zero-quiômetro.

Primeiro carro incendiado

McLaren Senna Salomondrin primeiro caso de incêndio - Reprodução - Reprodução
McLaren Senna do Youtuber Salomondrin ficou totalmente destruída em Los Angeles
Imagem: Reprodução

Em dezembro de 2018, foi registrado o primeiro caso de incêndio do Senna, que em maio passado foi incluído em um recall envolvendo 2,7 mil veículos da McLaren de diferentes modelos por risco de fogo.

A unidade, que pertencia ao youtuber Alejandro Salomon, o Salomondrin, foi completamente destruída pelas chamas em Los Angeles, nos Estados Unidos, alguns dias após ser retirada da concessionária.

No Instagram, Salomondrin negou que o carro tivesse se envolvido em qualquer tipo de colisão, sustentando que o incêndio aconteceu de forma espontânea.

Supostamente, o fogo teve início no compartimento do motor e o dono escapou sem ferimentos.

Colisão múltipla no Reino Unido

McLaren Senna Essex Reino Unido - Reprodução - Reprodução
Superesportivo teve dianteira bastante danificada após se envolver em colisão com outros 2 veículos
Imagem: Reprodução

Também em dezembro de 2018 o motorista de um McLaren Senna se envolveu em uma colisão com outros dois veículos na cidade de Southend, no condado de Essex, a cerca de 65 km de Londres, no Reino Unido.

A batida causou danos severos na dianteira do Senna, que teria tido perda total, enquanto a roda e o respectivo eixo no lado frontal esquerdo ficaram bastante estragados.

Este teria sido o primeiro acidente registrado do modelo na Inglaterra, onde ele é produzido.

Não houve registro de ferimentos sérios no acidente.

Incêndio no GP da Áustria

Em junho do ano passado, outro McLaren Senna pegou fogo. No caso, o veículo começou a se incendiar durante uma volta de exibição no fim de semana do GP da Áustria da Fórmula 1.

O ex-piloto Gerhard Berger, que foi parceiro do próprio Senna na McLaren, estava ao volante do supercarro quando aconteceu o incidente.

Ele prontamente estacionou o veículo na beirada da pista e comissários trataram de logo apagar as chamas.

Na ocasião, a McLaren se manifestou, informando que havia iniciado investigações para apurar a causa do incêndio, que motivou um recall quase um ano depois.

Senna pega fogo em Portugal

McLaren Senna incêndio pega fogo Braga Portugal - Reprodução - Reprodução
Em outro caso de incêndio, bombeiros tiveram de agir para evitar destruição na cidade de Braga
Imagem: Reprodução

Em março deste ano, cerca de dois meses antes de o recall por risco de incêndio ser anunciado pela fabricante britânica, um McLaren Senna pegou fogo na cidade de Braga, em Portugal.

O condutor deixou o carro imediatamente e os bombeiros foram acionados, controlando as chamas antes que elas consumissem totalmente o esportivo milionário.

Fotos tiradas na ocasião e publicadas nas redes sociais não mostram nenhum estrago evidente - apenas a traseira do veículo coberta por pó dos extintores de incêndio.

UOL Carros mostra como é o McLaren Senna:

Notícias