PUBLICIDADE
Topo

Sinais de que você vive um padrão de vida acima dos seus ganhos

Getty Images/iStockphoto
Imagem: Getty Images/iStockphoto
Júlia Mendonça

Júlia Mendonça é formada em comércio exterior pela Universidade Positivo. Atuou como planejadora financeira entre 2015 e 2018. Especialista em orientação e planejamento financeiro pessoal, é coach e consultora de finanças, pós-graduada em investimentos, finanças e banking. É influenciadora digital no nicho de finanças e investimentos em um dos maiores canais do assunto na área do Brasil.

do UOL

14/07/2020 04h00

Poucas coisas são tão prejudiciais para seu bolso e suas finanças quanto a cultura de ostentação, de viver um padrão de vida que não é condizente com seus ganhos. Vivemos numa sociedade em que é normal fazer dívida para parecer mais rico.

Esses comportamentos são tão comuns que muitas vezes não percebemos que os praticamos no dia a dia, mas isso se reflete em nosso bolso. Por isso, separei alguns sinais de alerta bastante práticos e tangíveis para que você reconheça se está nessa situação, afaste-se dela o mais rápido possível para viver de forma mais saudável com suas finanças.

Você faz empréstimos para comprar produtos não essenciais

Se você já fez empréstimo para comprar roupas, presentes ou outros itens não essenciais, isso é um sinal grave de problemas nas finanças. Empréstimos só devem ser feitos em situações extremamente específicas, e depender deles para compras que podem ser planejadas vai prejudicar muito suas finanças no futuro.

Caso você avalie e decida que é necessário mesmo realizar uma compra que não cabe no seu orçamento, sempre opte por planejar suas finanças e descobrir como pode encaixar a parcela ou economizar durante os meses sem entrar no vermelho. Não fique desesperado nesse momento e não tome decisões precipitadas que vão prejudicar seu bolso.

Você depende do cartão de crédito para passar o mês

O que aconteceria se você perdesse seu cartão de crédito de uma hora para outra? Teria dificuldade para pagar as contas do dia a dia, de passar o seu mês? Caso a resposta seja positiva, isso significa que você é dependente do seu cartão de crédito. Isso é um sinal grave de que está gastando muito mais do que ganha.

Faça um planejamento financeiro, corte imediatamente diversos gastos e foque ao máximo em não fazer novas parcelas no cartão de crédito. Seu objetivo deve ser usar somente o salário para pagar as contas e gastos diários. Não recomendo que use seu cartão novamente até se educar financeiramente e ter suas finanças controladas

Você depende de empréstimos para pagar obrigações anuais

Quando chegam IPTU, IPVA, matrícula de escola e faculdade, revisão do seu veículo, o que você faz? Consegue pagar essas contas usando o seu salário e economias ou precisa solicitar um empréstimo?

Apesar de não serem sintomas tão graves de desorganização financeira quanto estar dependente do cartão de crédito, fazer uma dívida para pagar por essas contas previsíveis mostra que você não tem previsibilidade nas suas finanças.

É preciso que você passe a antever essas despesas meses antes de elas ocorrerem e economize para não ficar apertado nessa hora. Fazendo isso, consegue desconto pagando à vista e evita os juros dos empréstimos.

Seu cartão de crédito é cheio de parcelas

Quando a fatura do seu cartão está tão cheia de parcelas a ponto de não existir mais espaço para novas despesas é um sinal extremo de que precisa arrumar suas contas imediatamente.

Significa que todo o dinheiro que você ganha está direcionado a compras do passado, que provavelmente não deveria ter feito e que agora está pagando o preço. Pare imediatamente de usar seu cartão e procure formas de pagar por essa fatura usando renda extra. Essa é a maneira mais fácil e prática para se livrar dessas parcelas e evitar prejudicar ainda mais seu orçamento.

Independente de como você tratou suas finanças no passado, é preciso que passe a focar no futuro. Deixe os hábitos e comportamentos prejudiciais para trás e se concentre em melhorar a partir de agora. Os frutos que você colhe no longo prazo valem todo o sacrifício que venha a fazer no curto prazo.

Descomplique: Como não deixar o dinheiro acabar com seu relacionamento

UOL Notícias

Notícias