PUBLICIDADE
Topo

Dinamarca cria passaporte de Covid-19 negativo para população

10/07/2020 05h04

O documento digital pode ser obtido de forma gratuita e foi desenvolvido porque vários países da União Europeia e outras partes do mundo exigem um teste de coronavírus negativo na entrada. 

O documento digital pode ser obtido de forma gratuita e foi desenvolvido porque vários países da União Europeia e outras partes do mundo exigem um teste de coronavírus negativo na entrada.
 

Fernanda Melo Larsen, correspondente da RFI em Copenhague

Pioneiro na Europa, o Passaporte Covid-19 negativo foi criado pelo governo da Dinamarca e vai funcionar como uma garantia que os viajantes dinamarqueses possam visitar outros países que abriram as fronteiras e têm baixa incidência de contágio de Covid-19.

O documento pode ser obtido de forma digital no site do Ministério da Saúde da Dinamarca, de forma gratuita, depois que o residente dinamarquês realizar um teste e o resultado for negativo. O objetivo do documento é facilitar a vida dos dinamarqueses que pretendem ir para países onde o teste é necessário. 

O anúncio do novo documento foi feito nesta quarta-feira (8) pelo ministro da Saúde Magnus Heunicke. Ele enfatizou que ''o país quer facilitar a entrada de todos os dinamarqueses, especialmente para viagens de negócios em outros países.'' O passaporte apesar de digital, pode ser impresso e terá o selo do Ministério da Saúde, Ministério das Relações Exteriores e da Polícia Nacional da Dinamarca.

Critérios para obtenção do documento

O teste deve ser realizado pelo menos de sete dias antes da impressão e só poderá ser emitido apenas para adultos com mais de 18 anos. No entanto, as crianças também poderão fazer o pedido a partir de meados de julho. Já os testes para detectar a Covid-19 podem ser realizados de forma gratuita em um dos 17 centros de testes que estão espalhados pelo país.

Esses centros estavam programados para serem desativados em novembro deste ano, mas vão funcionar até ao final de 2021.Os viajantes dinamarqueses também devem verificar os avisos de viagem nos sites das embaixadas dinamarquesas e de seus países de destino. O centro de monitoramento do Ministério das Relações Exteriores e as embaixadas locais podem confirmar se o passaporte oficial de coronavirus é necessário.

O setor econômico da Dinamarca comemora a criação desse passaporte. De acordo o diretor da indústria, Michael Svane, ''o passaporte Covid-19 negativo irá ajudar os dinamarqueses que precisam viajar a trabalho.''

Férias de verão trazem preocupação com o aumento de casos 

As autoridades de Saúde temem que, após o verão, o números de contágios possam aumentar. Atualmente, o país tem quase 13 mil casos confirmados e pouco mais de 600 mortes pela Covid-19. Já o número de pacientes internados em unidades terapia intensiva e uso de respiradores no país permanece inalterado, mas o Conselho Nacional de Saúde alertou que as pessoas podem trazer o vírus quando voltarem para casa depois das férias de verão na Europa.

Para os turistas que visitam a Dinamarca neste verão, uma das regras é apresentar um teste negativo na chegada ao país, ficar hospedado fora de Copenhague, por no mínimo seis noites. Além disso, o número de infecções por coronavirus do país do turista visitante seja inferior a uma taxa de 20 por 100.000 habitantes.

Notícias