PUBLICIDADE
Topo

Catedral de Notre-Dame de Paris deve ser reconstruída de forma idêntica

09/07/2020 14h56

Mais de um ano após o incêndio que destruiu parcialmente a catedral de Notre-Dame de Paris, a nova ministra da Cultura francesa, Roselyne Bachelot, afirmou nesta quinta-feira (9) que existe um "amplo consenso" para reconstruir a agulha da igreja "de forma idêntica" ao projeto que pegou fogo, em 15 de abril de 2019.

Mais de um ano após o incêndio que destruiu parcialmente a catedral de Notre-Dame de Paris, a nova ministra da Cultura francesa, Roselyne Bachelot, afirmou nesta quinta-feira (9) que existe um "amplo consenso" para reconstruir a agulha da igreja "de forma idêntica" ao projeto que pegou fogo, em 15 de abril de 2019.

A declaração foi feita após reunião do comitê consultivo escalado para tratar desse assunto. Parece que "um amplo consenso está surgindo na opinião pública e nos tomadores de decisão - já que, no final, será o presidente da República que decidirá - pela reconstrução idêntica", disse Bachelot à rádio France Inter, acrescentando que "é sempre difícil dizer exatamente igual", mas no mesmo "espírito da flecha" anterior.

Um dos principais projetos do quinquênio de Emmanuel Macron, o canteiro de obras da Notre-Dame de Paris passa por uma reavaliação. Após o incêndio, o presidente da República prometeu que a catedral seria reconstruída em cinco anos.

Um dos símbolos da capital francesa, a Catedral de Notre-Dame teve seus trabalhos de restauração interrompidos em várias ocasiões, por diversos motivos como: as chuvas, o risco de contaminação por chumbo e a epidemia de Covid-19. As obras foram finalmente retomadas no fim de abril. Apesar do atraso, os parlamentares responsáveis ??pelo acompanhamento da lei que permite a restauração da catedral permanecem otimistas.

O monumento mais visitado da França deve estar fora de perigo até o final de 2020 e os prazos deverão ser cumpridos, com a reabertura de cultos e abertura para visitantes, em 2024.

Obras mais caras

No entanto, se o impacto da pandemia de coronavírus na duração do trabalho pode ter consequências limitadas, o orçamento para a primeira fase da construção deve ser revisto e aumentado, de acordo com Brigitte Kuster, presidente da comissão de investigação responsável por monitorar a obra.

"O que já se pode dizer é que o orçamento de implementação das obras aumentou significativamente. Estimado no verão passado em € 85 milhões para o período até o verão de 2020, o valor considerado agora para as obras está em € 165 milhões de euros, por dois anos," afirma.

Uma diferença que quase corresponde aos € 190 milhões em doações já pagos às várias fundações, dos 833 milhões que foram prometidos. Outro ponto sensível é o do modelo da reconstrução, uma vez que o presidente Emmanuel Macron havia mencionado a possibilidade de um projeto arquitetônico contemporâneo.

Ideias ousadas para o monumento foram pensadas e apresentadas por escritórios de arquitetura do mundo inteiro. O brasileiro Alexandre Fantozzi, por exemplo, designer do AJ6 Studio, foi um dos primeiros a publicar uma proposta de restauração, que transformaria todo o telhado da construção em uma estrutura de vitrais.

Entretanto, Brigitte Kuster acredita que uma tendência está surgindo entre os especialistas. "De fato, após o tempo dos diagnósticos sobre o estado dos pilares e abóbodas do teto, chegará o momento da restauração. Embora o assunto pareça controverso na imprensa, deve-se reconhecer que, entre os entrevistados pela missão de investigação, a reconstrução idêntica prevaleceu quase por unanimidade," afirmou.

 

Notícias