PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Aumento de tiroteios em NY alimenta polêmica sobre reforma policial

06/07/2020 20h09

Nova York, 6 Jul 2020 (AFP) - Um aumento de 130% no número de tiroteios em junho e 11 mortos neste fim de semana: a polícia de Nova York deplora o aumento da criminalidade, que atribui, em parte, ao clima gerado pelas manifestações contra o racismo e a violência policial, alimentando a polêmica sobre a reforma após a morte, em maio, de George Floyd por um policial em Minneapolis.

Autoridades citam, entre os motivos do aumento dos tiroteios, a libertação antecipada de presos devido à pandemia, o fechamento dos tribunais devido à Covid-19 e "uma animosidade enorme" contra a polícia durante os protestos do movimento Black Lives Matter, que "derrubaram o moral" dos agentes, segundo o chefe de polícia, Terence Monahan.

Indignados com a morte de Floyd e uma longa lista de pessoas negras por policiais brancos em todo o país, manifestantes vêm insultando policiais durante os protestos e muitos pedem a retirada do financiamento da força ou a sua abolição completa.

Um aumento dos tiroteios, de 130% em junho de 2020 comparado a junho de 2019, foi apontado pela polícia de Nova York nas últimas semanas. O último fim de semana confirmou esta tendência, com 45 tiroteios e 11 mortos em três dias, segundo a polícia, contra 16 tiroteios no mesmo período de 2019.

Como outras cidades e estados americanos, Nova York proibiu recentemente a manobra policial que causou a morte de George Floyd por asfixia. Mas Terence Monahan classificou de "louca" a lei que a proibe e que permite responsabilizar os policiais que fizerem uso da mesma.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, disse que a situação é "muito séria". A criminalidade estava em queda constante na cidade e o prefeito democrata, que apoia as manifestações, acredita que a causa do aumento da mesma seja a pandemia.

"Sentimos os efeitos das pessoas fechadas em casa há meses, da atividade econômica que não se recuperou totalmente", disse em entrevista coletiva, referindo-se a dezenas de milhares de pessoas que perderam o emprego desde março. Ele também considerou o fechamento dos tribunais "um problema central".

O presidente Donald Trump denuncia a exigência dos manifestantes de um corte no financiamento da polícia e tuitou hoje que os governos democratas de Nova York e Chicago "protegem os criminosos".

cat-lbc/gm/lb

Notícias