PUBLICIDADE
Topo

Incêndio em instalação nuclear iraniana não causou baixas ou danos, dizem autoridades

02/07/2020 10h34

Por Parisa Hafezi

DUBAI (Reuters) - Um incêndio na instalação nuclear iraniana de Natanz não deixou vítimas e o local está funcionando normalmente, disseram autoridades do Irã nesta quinta-feira.

A Planta de Enriquecimento de Combustível de Natanz (FEP) é uma das várias instalações iranianas monitoradas pela agência nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU).

Inicialmente, a Organização de Energia Atômica do Irã relatou que "um incidente" ocorreu na instalação localizada na província central de Isfahan.

"Não houve baixas ou danos, e a instalação nuclear está operando como sempre", disse o porta-voz da organização, Behrouz Kamalvandi, segundo citação da agência de notícias Tasnim.

O governador da cidade de Natanz, Ramazanali Ferdosi, disse mais tarde que o incidente foi causado por um incêndio, acrescentando que bombeiros foram enviados ao local. Ele não deu maiores detalhes sobre a causa do fogo, noticiou a Tasnim.

Uma equipe de especialistas da Organização de Energia Atômica está investigando o motivo do incidente.

"Não existe preocupação com a possibilidade de contaminação, já que um dos galpões que estava inativo e em construção foi danificado, e não a própria instalação", disse Kamalvandi à agência de notícias estatal Irna.

Alguns especialistas não descartaram a possibilidade de sabotagem, dada a importância de Natanz.

"Considerando que este chamado incidente aconteceu poucos dias após a explosão perto da base militar de Parchin, a possibilidade de sabotagem não pode ser descartada", disse uma antiga autoridade nuclear iraniana à Reuters.

"Além disso, a instalação de enriquecimento de Natanz já foi visada antes por um vírus de computador", disse ele, referindo-se a um ataque de 2010 com o vírus cibernético Stuxnet, que danificou centrífugas no local e que muitos acreditam ter sido desenvolvido por Estados Unidos e Israel.

Na sexta-feira, uma explosão ocorreu perto de um complexo militar sigiloso no leste de Teerã que as autoridades disseram ter sido provocada pelo vazamento de um tanque em uma unidade de armazenamento de gás situada em uma área pública.

Serviços de segurança ocidentais acreditam que Teerã realizou testes relevantes para detonações de bombas nucleares mais de uma década atrás na base militar e de desenvolvimento de armas de Parchin – o Irã nega.

O país concordou em limitar seu programa nuclear em troca da suspensão das sanções internacionais em um acordo firmado com seis potências mundiais em 2015, mas vem reduzindo seus compromissos desde que os EUA se retiraram do acordo em 2018 e reativou e endureceu sanções que vêm abalando a economia iraniana.

(Reportagem adicional de Francois Murphy em Viena)

Notícias