PUBLICIDADE
Topo

Notícias

Menino de 8 anos lidera ato antirracista nos EUA: somos crianças poderosas

Garoto de 8 anos organizou o seu próprio protesto no Missouri (EUA) - Reprodução/cnn.com
Garoto de 8 anos organizou o seu próprio protesto no Missouri (EUA) Imagem: Reprodução/cnn.com
do UOL

Do UOL, em São Paulo

02/07/2020 00h14Atualizada em 02/07/2020 14h18

Um garoto de 8 anos organizou a sua própria marcha contra a violência direcionada a pessoas negras, no Missouri (EUA), e centenas de manifestantes atenderam ao chamado, segundo informou a rede de TV americana CNN. O público-alvo do protesto eram crianças, como ele, que foram acompanhadas de seus pais ou responsáveis.

"Nós somos as crianças, as crianças poderosas. E aqui estamos para lhe dizer: vidas negras importam!", gritou Nolan Davis, usando um megafone, fazendo referência ao movimento Black Lives Matter ("Vidas Negras Importam", em português). "Estou preocupado com as pessoas negras, como eu, que se machucaram", acrescentou o menino.

Nolan Davis teve a ideia de iniciar seu próprio protesto depois que ele e a mãe, Kristin Davis, foram a algumas manifestações em decorrência da morte do afro-americano George Floyd, morto em uma abordagem policial, em maio.

Os dois, então, criaram panfletos para a marcha e compartilharam no Facebook, pedindo às famílias que se encontrassem no Kirkwood Park. Centenas de pessoas —pais, mães e filhos— atenderam ao chamado de Nolan.

"Pensei que talvez 50 pessoas tivessem lá, mas havia cerca de 700 pessoas", comemorou Nolan.

Apesar de estar apenas no ensino fundamental, Nolan demonstrou determinação e, em meio a gritos de "stop racism" ("pare o racismo", na tradução), liderou a marcha carregando o seu pôster que dizia: "As crianças podem fazer a mudança".

Protestos antirracistas

Os EUA enfrentaram uma onda de protestos antirracistas desencadeada pelo assassinato de George Floyd, um homem negro morto depois de ser asfixiado por um policial branco durante abordagem, em Minneapolis.

Protestos em diversas cidades americanas ao longo de maio e junho reuniram milhares de pessoas em defesa da pauta. As manifestações, em geral, foram pacíficas.

Milhares também ocuparam as ruas da Europa contra a violência policial praticada contra a população negra. Na Inglaterra, por exemplo, a estátua de um traficante de escravos foi derrubada e atirada em um rio em Bristol.

Notícias