PUBLICIDADE
Topo

União Europeia autoriza entrada de turistas de 15 países; Brasil fica fora

Parlamento Europeu com bandeiras da União Europeia em Bruxelas, na Bélgica - Getty Images
Parlamento Europeu com bandeiras da União Europeia em Bruxelas, na Bélgica Imagem: Getty Images

30/06/2020 10h55Atualizada em 30/06/2020 11h44

Os países da União Europeia (UE) aprovaram hoje a reabertura das fronteiras a partir de 1º de julho aos turistas de 15 países, incluindo a China, mas neste caso sob algumas condições.

A lista inclui Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Montenegro, Marrocos, Nova Zelândia, Ruanda, Sérvia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia e Uruguai, além da China, mas o gigante asiático sob critérios de reciprocidade, informou o Conselho da UE em um comunicado.

Os europeus definiram a lista, que será atualizada a cada duas semanas, com base em uma série de critérios, entre eles que a situação da pandemia de covid-19 em seus territórios seja similar ou melhor que no bloco de 27 países.

A tendência de novos focos durante as últimas duas semanas também deve ser levada em consideração, assim como a resposta geral à covid-19 - testes, vigilância, localização de contágios, contenção, tratamento.

O acordo implica, no entanto, uma "recomendação" não vinculante aos países da UE e aos associados ao espaço de livre circulação Schengen - Suíça, Liechtenstein, Noruega e Islândia -, responsáveis por aplicar a decisão.

Além dos 15 países, a UE, que está no início da lucrativa temporada turística, também abre as fronteiras para os residentes de Andorra, San Marino, Mônaco e Vaticano, quatro pequenos Estados europeus.

Notícias