PUBLICIDADE
Topo

Prefeito de Lisboa culpa má gestão sanitária por aumento de casos de Covid-19

30/06/2020 19h17

Lisboa, 30 jun (EFE).- As críticas do prefeito de Lisboa, Fernando Medina, sobre os "erros" que levaram a um aumento da pandemia de Covid-19 na capital de Portugal desencadearam uma batalha política em um país que deixou de ser um modelo no controle da doença para liderar as listas de novas infecções.

Em uma entrevista concedida nesta terça-feira à emissora de TV local "TVI", Medina referiu-se à falta de organização, coordenação e recursos para enfrentar os novos surtos do novo coronavírus que surgiram no último mês e meio na região de Lisboa e Vale do Tejo.

Ele insistiu que a capacidade dos profissionais de saúde de lidar com a situação deve ser aumentada.

Fernando Medina, que sucedeu o atual primeiro-ministro António Costa na prefeitura de Lisboa em 2015 - também sob a sigla do Partido Socialista (PS) -, garantiu que a situação na capital se deve, em parte, ao fato de haver "maus chefes e pouco exército".

Ele também pediu uma redução dos tempos de diagnóstico, a fim de interromper rapidamente as cadeias de contágio e acelerar o rastreio da população para identificar os infectados o mais rápido possível.

Portugal registrou hoje oito novas mortes por Covid-19, elevando o total para 1.576 vítimas.

O número de infecções aumentou em 229 casos (82% na região de Lisboa e Vale do Tejo), elevando o número total de casos positivos no país desde o início da pandemia para 41.192.

Notícias