PUBLICIDADE
Topo

Paraná decreta isolamento mais rígido em Curitiba e outras seis regiões

Ratinho Junior (PSD), governador do Paraná, anunciou regras mais rígidas de isolamento em sete regiões - Reprodução/Instagram
Ratinho Junior (PSD), governador do Paraná, anunciou regras mais rígidas de isolamento em sete regiões Imagem: Reprodução/Instagram
do UOL

Do UOL, em São Paulo

30/06/2020 17h52

O governador do Paraná, Ratinho Júnior (PSD), anunciou hoje o decreto de medidas mais rígidas de isolamento social para tentar conter o avanço da pandemia do coronavírus no estado. Sete regiões, incluindo a Região Metropolitana de Curitiba, vão ser submetidas aos novos parâmetros de controle da circulação de pessoas e funcionamento da economia, que passam a valer a partir de amanhã (1º).

Além de Curitiba, também fazem parte do decreto as regiões de Foz do Iguaçu, Cascavel, Cianorte, Londrina, Cornélio Procópio e Toledo. Ao todo, a área dessas sete regiões compreendem 134 municípios. Segundo o governador, 75% dos casos de infecção pelo coronavírus no estado do Paraná estão concentrados nessas cidades.

"Temos feito tudo o que está ao nosso alcance desde o começo da pandemia. Reforçamos a estrutura de atendimento, contratamos mais profissionais, compramos equipamentos, mas isso tudo é finito. Nesse momento de curva mais ascendente, e diante do inverno, temos que reativar o isolamento social para que esse sistema não colapse", disse Ratinho Júnior.

O chefe do Executivo estadual paranaense, porém, negou que as medidas signifiquem um estado de lockdown. "É uma quarentena mais restritiva em algumas regiões onde a curva está fora do controle normal. Nossas decisões serão pontuais e regionais, um trabalho de acupuntura. Se conseguirmos frear a velocidade da propagação, teremos tranquilidade para atender bem a população e não colapsar", afirmou.

De acordo com o decreto do governador, o funcionamento de mercados e supermercados ficará restrito de segunda a sábado, das 7h às 21h, com fluxo limitado a 30% da capacidade total e controle de entrada com distribuição de senhas, tendo acesso apenas de uma pessoa por família. Está proibida a entrada de crianças menores de 12 anos nesses estabelecimentos.

O governo estadual suspendeu o funcionamento de lojas de conveniência em postos de combustíveis, com exceção apenas aos que funcionam em rodovias. Ficarão fechados também parques, praças, passeios, equipamentos de musculação e outras áreas de atividades coletivas ao ar livre.

No transporte público das regiões afetadas pelo decreto, o acesso será permitido apenas aos funcionários de serviços essenciais e haverá uma quantidade limitada de passageiros.

O decreto ainda autoriza as prefeituras a instalar barreiras sanitárias nos limites de seus municípios, além de permitir a tomada de medidas mais restritivas. Ficou estabelecido que haverá multa de R$ 106,60 a R$ 533 a pessoas físicas que desrespeitarem as normas. No caso de pessoas jurídicas, a multa fica entre R$ 2.132 e R$ 10.660. Esses valores poderão ser dobrados em casos de reincidência.

De acordo com o governo estadual, o Paraná registrou 1.536 novos casos e 36 mortes nas últimas 24 horas. Foram os números mais altos em um único dia. A taxa de ocupação de leitos de UTI está em 66% no estado todo, mas chega a ficar acima dos 70% em algumas regiões.

"A curva de casos aumentou no último mês junto com aumento da testagem. Nos últimos 15 dias tivemos um crescimento na velocidade de casos, o que culminou também com a diminuição do índice de isolamento social, que está baixo, menos de 40% durante a semana. Temos que buscar um índice entre 50% e 55%", disse o secretário estadual de Saúde, Beto Preto.

Notícias