PUBLICIDADE
Topo

Alemão confessa assassinato de 6 parentes: 'Minha mãe arruinou minha vida'

Suspeito diz que sentia "ódio pela mãe" e por isso provocou a chacina - Reprodução
Suspeito diz que sentia "ódio pela mãe" e por isso provocou a chacina Imagem: Reprodução
do UOL

Do UOL, em São Paulo

29/06/2020 12h27

Um alemão acusado de matar seis parentes e ferir gravemente outros dois em uma reunião de família confessou o crime hoje, no primeiro dia de seu julgamento, na Alemanha, de acordo com a agência de notícias dpa. "Minha mãe arruinou minha vida", ele afirmou.

À Justiça, ele declarou detalhadamente como tudo aconteceu, apontando como motivo o ódio que sentia pela mãe, descrita por ele como abusiva.

O réu, de 27 anos, enfrenta acusações de homicídio e tentativa de homicídio por ter matado os pais, sua meia-irmã, seu meio-irmão, um tio e uma tia na cidade de Rot am See (530 km de Berlim), localizada no estado de Baden-Wuerttemberg. Outra tia e tio conseguiram escapar, apesar de também terem sido baleados.

"Eu não gostaria de ter feito isso", disse o jovem.

"Atirei em tudo que se mexia"

O rapaz teria disparado 30 vezes com uma arma de fogo, no dia 24 de janeiro, antes de ligar para a polícia e se entregar. O tiroteio ocorreu no prédio do apartamento do pai, onde o réu também morava. A família estava reunida no local para a realização de um funeral.

Ele lamentou ter matado o pai, mas observou que perdeu o controle: "Eu atirei em tudo que se mexia".

O acusado disse que estava planejando o ataque há algum tempo. Ele entrou para um clube de atiradores e conseguiu uma arma legalmente antes do crime.

Os promotores atuando no caso acreditam que o rapaz sofra de esquizofrenia paranoica, e por isso ele vai passar por uma avaliação psiquiátrica durante o processo.

O jovem afirmou que sua mãe misturava substâncias químicas a sua comida com frequência e que ela o teria envenenado com hormônios femininos porque gostaria que ele tivesse nascido uma menina.

Ele falou de sua extrema desconfiança das pessoas ao seu redor, descrevendo uma vida introvertida, mesmo dentro da casa da família, onde instalou câmeras de segurança em seu quarto e monitorava os telefonemas dos pais.

É esperado que o veredito seja divulgado no dia 10 de julho.

Notícias