PUBLICIDADE
Topo

Ex-deputado venezuelano é acusado de traficar toneladas de drogas para os EUA com Maduro

27/05/2020 19h45

Nova York, 27 Mai 2020 (AFP) - O ex-deputado venezuelano Adel El Zabayar, 56, foi acusado nesta quarta-feira, em Nova York, de integrar o cartel venezuelano Los Soles, juntamente com o presidente Nicolás Maduro, e de conspirar com ele para enviar toneladas de drogas aos Estados Unidos e planejar ataques contra interesses americanos.

Zabayar é acusado pela procuradoria do distrito sul de Manhattan de três crimes: narcoterrorismo, conspiração para importar cocaína e uso e posse de armas de fogo, em nome do cartel Los Soles, supostamente integrado por membros do governo venezuelano.

Segundo os procuradores, El-Zabayar trocou armas por cocaína com a guerrilha colombiana das Farc, sabendo que toneladas de drogas acabariam nos Estados Unidos. Também foi acusado de tentar "recrutar terroristas do Hezbollah e Hamas para ajudar no planejamento e realização de ataques nos Estados Unidos" em nome do cartel, diz em comunicado o procurador de Manhattan Geoffrey Berman.

Há dois meses, os Estados Unidos acusaram Maduro de narcoterrorismo por sua suposta liderança do cartel Los Soles, e ofereceram até 15 milhões de dólares por informações que levassem à sua prisão. O presidente venezuelano negou a acusação.

Se for capturado e extraditado aos Estados Unidos para ser julgado, El Zabayar pode pegar prisão perpétua. "As acusações de hoje contra Adel El Zabayar por trocar armas por cocaína e recrutar extremistas mostra ainda mais a corrupção no regime Maduro", diz o chefe interino da DEA, Timothy Shea, no comunicado. O governo Maduro tentou "inundar os Estados Unidos com cocaína e outras drogas, enquanto enriquece."

A acusação sustenta que o ex-deputado negociou no Oriente Médio e recebeu no aeroporto internacional de Caracas um avião de carga libanês repleto de armas militares, entre elas fuzis AK-103, a fim de trocá-las por drogas com as Farc. A missão lhe foi confiada em 2014, em uma base militar, pelo número dois do governo venezuelano, Diosdado Cabello, detalha o documento.

Na mesma viagem, Cabello encarregou El Zabayar de recrutar membros do Hezbollah e Hamas, que seriam treinados em campos clandestinos na Venezuela, segundo a acusação. No encontro, Cabello lhe explicou que o objetivo era "criar uma grande célula terrorista capaz de atacar interesses americanos em nome do cartel Los Soles", segundo os procuradores americanos. El Zabayar aceitou a missão, assinalaram.

Nascido na Venezuela, de pais sírios, El Zabayar acompanhou o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez em uma reunião com o presidente sírio, Bashar al-Assad, em 2009. A Justiça americana lembra que, em 2013, ele lutou na Síria com as forças de Assad.

As Farc, o Hezbollah e o Hamas são considerados organizações terroristas internacionais pelos Estados Unidos.

lbc/piz/lb

Notícias