PUBLICIDADE
Topo

Soros diz que União Europeia pode não sobreviver à crise do coronavírus

George Soros, o investidor húngaro bilionário - Getty Images
George Soros, o investidor húngaro bilionário Imagem: Getty Images
do UOL

Do UOL, em São Paulo

22/05/2020 09h53

O bilionário George Soros disse que a União Europeia pode se separar após a pandemia a menos que o bloco emita títulos perpétuos para ajudar membros considerados mais fracos, como a Itália, um dos países mais atingidos pelo novo coronavírus.

Em sua avaliação, segundo a agência Reuters, os danos à economia da zona do euro decorrentes da pandemia durariam "mais do que a maioria das pessoas pensa", acrescentando que a rápida evolução do vírus significava que seria difícil desenvolver uma vacina confiável.

Conhecido por fazer fortuna no mercado financeiro e doar dinheiro a causas progressistas, ele disse que os títulos perpétuos — usados pelos britânicos para financiar guerras contra Napoleão Bonaparte — permitiriam que o bloco sobrevivesse.

"Se a UE não puder considerá-lo agora, talvez não consiga sobreviver aos desafios que enfrenta atualmente", disse Soros em uma transcrição de sessão de perguntas e respostas enviada por e-mail a jornalistas.

Soros disse que a UE teria que manter seu rating de crédito 'AAA' para emitir essa dívida — e, portanto, deve ter poderes de aumentar os impostos para cobrir o custo dos títulos. "Os impostos só precisam ser autorizados; eles não precisam ser implementados", argumentou.

Notícias