PUBLICIDADE
Topo

China diz que parceria com Brasil interessa a ambos e fala sobre covid-19

do UOL

Do UOL, em São Paulo

22/05/2020 21h53

A Embaixada da China no Brasil divulgou nota na noite de hoje e afirmou que a parceria entre os dois países "corresponde aos interesses dos dois estados e dos dois povos".

"A China e o Brasil são parceiros estratégicos globais. Ao longo dos 46 anos desde o estabelecimento das relações diplomáticas, as cooperações sino-brasileiras têm alcançado resultados abrangentes num ritmo acelerado. Os fatos provam que a parceria sino-brasileira corresponde aos interesses dos dois Estados e dos dois povos", diz o comunicado.

A manifestação chinesa vem após a liberação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril. Na ocasião, o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou que "a China é aquele cara que você sabe que tem que aguentar" ao falar sobre as exportações do Brasil para o país asiático.

"A China mantém-se como o maior parceiro comercial do Brasil há onze anos consecutivos e é uma das principais fontes de investimento estrangeiro no país. A parceria bilateral na área econômica e comercial sempre tem sido norteada pelos princípios de respeito recíproco, igualdade, benefício mútuo e cooperação ganha-ganha e tem contribuído efetivamente para o crescimento conjunto de ambas as partes, trazendo benefícios reais para os dois povos. A cooperação China-Brasil e China-América Latina atende às necessidades dos dois lados, não visa os terceiros e tampouco é influenciada por terceiros e, por isso, é amplamente apoiada pelos países latino-americanos", acrescenta a embaixada.

Ainda na reunião, Guedes afirmou que o país asiático "deveria financiar um Plano Marshall para ajudar todo mundo que foi atingido" pelo novo coronavírus. Na nota, a Embaixada declarou que a China compartilhou informações desde o começo da pandemia.

"Desde o início do surto da Covid-19, a China, com abertura, transparência e alto senso de responsabilidade, notificou as informações atempadamente à OMS e a outros países como o Brasil, compartilhou, sem reservas, experiências de prevenção, controle, diagnóstico e tratamento e engajou-se na cooperação internacional para o combate à pandemia. Atitudes como essas receberam alto apreço da ONU, da OMS e da comunidade internacional em geral. Nos últimos tempos, o governo, o empresariado e as organizações da sociedade civil da China vêm dando um firme apoio ao Brasil na sua luta contra o novo coronavírus conforme as suas necessidades. Temos convicção de que, juntos, vamos vencer a pandemia e levar a parceria sino-brasileira em todas as áreas a um novo patamar."

Notícias