PUBLICIDADE
Topo

Trump não usa máscara em ida à fábrica para 'não dar esse prazer à mídia'

21.mai.2020 - Sem máscara, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, visita fábrica da Ford em Ypsilanti, Michigan - Reprodução/CNN
21.mai.2020 - Sem máscara, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, visita fábrica da Ford em Ypsilanti, Michigan Imagem: Reprodução/CNN
do UOL

Do UOL, em São Paulo

21/05/2020 22h02Atualizada em 21/05/2020 22h38

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, foi visto sem máscara durante uma visita a uma fábrica da Ford em Ypsilanti, no estado de Michigan, no norte do país. Questionado por que estava sem o equipamento de proteção, considerado importante para evitar o contágio pelo novo coronavírus, Trump disse apenas que não queria "dar esse prazer à imprensa".

"Eu estava usando uma antes, lá atrás. Mas não queria dar à imprensa o prazer de vê-la [em mim]", afirmou o presidente, segundo reportado pela CNN. Uma fonte que acompanhou a visita de Trump confirmou à emissora que ele realmente usava uma máscara quando estava longe das câmeras.

A política da fábrica exige que todo mundo use máscaras. A Ford avisou a Casa Branca sobre a determinação, mas acrescentou que a Presidência dos EUA "possui suas próprias políticas de segurança e de testagem e fará sua própria determinação".

Logo depois da visita de Trump, a advogada-geral de Michigan, Dana Nessel, condenou a recusa do presidente em usar o equipamento de proteção. Para Nessel, ele mandou a "pior mensagem possível" aos EUA ao aparecer sem máscara em frente às câmeras.

"Tenho vergonha de tê-lo como presidente dos Estados Unidos da América", afirmou a advogada ao programa "The Situation Room", também da CNN. "Espero que todos os eleitores de Michigan se lembrem disso em novembro. Que Trump não se importou o suficiente com a segurança e o bem-estar deles, que não os respeitou o suficiente, nem para fazer uma tarefa simples", continuou.

Nessel ainda disse torcer para que o país tenha um novo presidente em breve, e que seja uma pessoa "que respeita a população mais do que Trump o faz."

Os EUA são, de longe, o país mais afetado pela covid-19 em números absolutos: são mais de 1,5 milhão de casos confirmados e quase 95 mil mortes pela doença, segundo balanço da Universidade Johns Hopkins.

Notícias