PUBLICIDADE
Topo

Prefeito alerta nova-iorquinos a cobrirem o rosto para sair de casa

02/04/2020 20h58

Nova York, 2 Abr 2020 (AFP) - O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, pediu que todos os moradores cubram seus rostos ao saírem de casa ou se aproximarem de outras pessoas, como medida para conter o novo coronavírus.

"Trata-se de cobrir o rosto. Pode ser com um lenço. Pode ser com algo que você crie para você em casa. Pode ser com uma bandana", disse Blasio aos jornalistas.

"Não precisa ser uma máscara cirúrgica profissional. Na verdade, não queremos que você use o tipo de máscara que nossos socorristas precisam, que nossos profissionais de saúde precisam. Não as use", acrescentou.

Nova York é o epicentro do surto mortal de COVID-19 nos Estados Unidos.

A cidade registrou quase 50.000 casos confirmados, incluindo 1.562 mortes, segundo o gabinete do prefeito.

Na noite desta quinta-feira, os Estados Unidos tinham um total de mais de 242.000 casos declarados e mais de 5.800 mortos, de acordo com um registro da Universidade Johns Hopkins.

O presidente Donald Trump disse a jornalistas em sua entrevista diária na Casa Branca sobre o coronavírus que ele não pensava em tornar obrigatório que todos os americanos cubram seus rostos.

"Por exemplo, as máscaras, se as pessoas quiserem usá-las, elas podem. Se as pessoas quiserem usar lenços, que muitas pessoas têm, elas podem."

"Em muitos casos, os lenços são melhores. São mais grossos. Dependendo do material, são mais grossos", disse ele.

Deborah Birx, coordenadora do comitê de resposta ao coronavírus da Casa Branca, disse que é importante que as pessoas não pensem que as máscaras substituem o distanciamento social ou a lavagem das mãos.

"Não queremos que as pessoas tenham uma sensação artificial de proteção", disse ela. "Elas são um adicional."

O governador da Califórnia, Gavin Newsom, fez recomendações semelhantes às de Blasio na quinta-feira, mas enfatizou que as máscaras "não substituem" o distanciamento social.

"Os indivíduos que desejam cobrir seus rostos... isso é bom, somado ao distanciamento físico e à ordem de ficar em casa", disse ele.

Mais de três quartos dos americanos estão atualmente vivendo sob várias formas de confinamento, incluindo os nova-iorquinos que foram instruídos a não deixar suas residências, a menos que seja absolutamente necessário.

pdh/acb/jc/mvv

Notícias