PUBLICIDADE
Topo

Segurança de Bolsonaro é internado por causa de coronavírus

25.mar.2020 - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em videoconferência com governadores do Sudeste - Marcos Corrêa/PR
25.mar.2020 - O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em videoconferência com governadores do Sudeste Imagem: Marcos Corrêa/PR
do UOL

Eduardo Militão

Do UOL, em Brasília

26/03/2020 14h08Atualizada em 26/03/2020 17h11

Um segurança do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi internado por causa de coronavírus. O capitão da Polícia Militar Ari Celso Rocha Barros estava em tratamento em casa, mas o quadro piorou, segundo fontes ouvidas pelo UOL.

Ele não estava na comitiva do presidente que foi aos Estados Unidos e nem teve contato com Bolsonaro depois disso, informou o Gabinete de Segurança Institucional (GSI) do Palácio do Planalto. Mais de 20 autoridades e servidores que viajaram com Bolsonaro e se encontraram com a equipe do presidente Donald Trump contraíram a covid-19.

Barros está no Hospital de Base de Brasília. Na manhã desta quinta-feira (26), o segurança estava "estável", segundo um amigo. De acordo com ele, o policial tem pouco menos de 40 anos e bom porte físico. No entanto, luta contra algumas doenças pre-existentes, como pressão alta, o que costuma agravar o quadro de quem é infectado com o vírus.

O GSI informou ao UOL que, desde o regresso da comitiva dos EUA, o capitão Barros não teve contato com o PR. Na verdade, ele estava em quarenta porque, no Brasil, teve contato com o secretário de Comunicação do Palácio, Fábio Wajngarten.

"Como apresentou sintomas com o decorrer da quarentena, fez teste para coronavírus, que apresentou resultado positivo no último dia 22."

Notícias