PUBLICIDADE
Topo

Empresário do ES que dizia estar infectado pelo coronavírus é indiciado

do UOL

Vinícius Rangel

Colaboração para o UOL, em Vitória (ES)

26/03/2020 13h51

Um empresário de 38 anos, dono de um restaurante em Vitória, no Espírito Santo, foi indiciado pela Polícia Civil capixaba depois de publicar um vídeo nas redes sociais afirmando estar infectado com o novo coronavírus. Após diversos exames hospitalares realizados, foi comprovado que Ronney Norte de Jesus não estava infectado.

O delegado titular da Delegacia de Repressão aos Crimes Cibernéticos, Brenno Andrade, afirmou que o vídeo provocou alarde e comoção pública na internet. Ele tomou conhecimento do material na semana passada e começou a investigar o caso.

"O vídeo viralizou de uma maneira muito grande. Eu recebi esse vídeo na semana semana passada e até no início me compadeci do caso dele, mas começamos a investigar. Ele realmente teve um problema de saúde, síndrome respiratória, mas não o coronavírus. A secretária de saúde tentou fazer contato com ele para falar do resultado do exame, mas não conseguiu. Ele não estava infectado", explicou o delegado.

O dono de restaurante foi indiciado pelo artigo 41 da Lei de Contravenções Penais, "provocar alarma, anunciando desastre ou perigo inexistente, ou praticar qualquer ato capaz de produzir pânico ou tumulto". A pena é de até seis meses de prisão ou multa.

"Esse é um momento de termos serenidade em relação ao que é postado nas redes sociais e compartilhado também. As informações falsas podem ocasionar danos as outras pessoas. Nós estamos monitorando tudo o que vem sendo postado com esse tipo de intuito. A polícia está atenta às condutas práticas em redes sociais", frisou Brenno Andrade.

O vídeo, de quase nove minutos, foi compartilhado por mais de 8 mil de pessoas nas redes sociais e gerou comoção pública. Ele já foi visto, em apenas uma única publicação no Facebook, quase 200 mil vezes.

Em um dos trechos, o empresário chega a dizer que sentiu os primeiros sintomas quando estava em um sítio do pai. Após continuar sentindo febre e falta de ar, foi para o hospital. Lá, o empresário conta que chegou a ser entubado e ficou por dois dias internado na Unidade de Tratamento Intensivo.

"Passei dois dias na UTI, entrei no oxigênio, tomei remédios e remédios, fiz exames e mais exames, estou com medo de morrer até agora. Espero que isso toque alguém. Pelo menos os conhecidos percebam a gravidade da parada. Estou indo para o mato me esconder, no sítio do meu pai, ou alugar alguma coisa longe dele porque eu estou com essa p...", conta o empresário no vídeo.

Ronney também afirma no vídeo que, a partir do dia 19 de março, data da publicação nas redes sociais, o restaurante estaria com as portas fechadas por tempo indeterminado. No entanto, nos comentários, foi levantada a possibilidade de que ele estaria tentando guardar dinheiro para evitar pagar os funcionários e fornecedores.

"Por enquanto não recebemos nenhuma representação de funcionários ou de outras pessoas que se sentiram lesadas pelo fechamento do restaurante. Se alguém entender que essa foi uma estratégia de estelionato, a pessoa pode procurar a delegacia que vamos adotar as medidas necessárias sobre o caso", alertou o delegado do caso.

Ronney vai responder o processo em liberdade. O procedimento agora segue para o Poder Judiciário para que sejam adotadas as medidas cabíveis.

Defesa nega que empresário tenha afirmado estar infectado

Por meio de nota, o advogado Ricardo Carneiro, que representa a defesa do Ronney Norte de Jesus, afirmou que nunca foi dito pelo indiciado que ele estaria com o coronavírus, "mas que estava com alguma doença que desconhecia e que as informações não eram prestadas adequadamente, daí porque seu estado emocional abalado".

Na nota, o advogado ainda afirma que esperam que "a celeridade na apuração do suposto crime praticado pelo Sr. Ronney seja a mesma para a apuração da divulgação do resultado do exame, inclusive quem forneceu à autoridade policial e se houve a quebra do sigilo pelo Poder Judiciário".

Por fim, a defesa frisou que desconhece qualquer denúncia apresentada pelo Ministério Público contra o empresário até o momento.

Notícias