PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus: Padaria em MG oferece pão de graça e ajuda quem não pode pagar

Padaria doa pães para quem não tem condições de pagar em Juiz de Fora (MG) - Daniel Leite / Colaboração para o UOL
Padaria doa pães para quem não tem condições de pagar em Juiz de Fora (MG) Imagem: Daniel Leite / Colaboração para o UOL
do UOL

Daniel Leite

Colaboração para o UOL, em Juiz de Fora (MG)

26/03/2020 17h37

Resumo da notícia

  • Padaria em Juiz de Fora doa pães para quem não tem condições de pagar durante a crise causada pelo novo coronavírus
  • "Esses pães representam muita coisa, é a minha alimentação", diz Edson Luis de Matos, catador de material reciclável
  • A proprietária da padaria, Marlize Lima de Castro Gonçalves, fala emocionada sobre a iniciativa, porque tem consciência do bem que está fazendo
  • A cidade de 568 mil habitantes tem oito casos confirmados da covid-19 e declarou Situação de Emergência em Saúde Pública

Uma cesta de pães gratuitos mata a fome de quem não tem alternativa e alimenta também a esperança de outras pessoas. "Se hoje você não tiver dinheiro para comprar pão, pode retirar o seu aqui", diz o aviso logo na entrada de uma padaria em Juiz de Fora (MG).

"Esses pães representam muita coisa, é a minha alimentação. A gente anda muito durante o dia, chega uma hora que tem que dar uma parada e se alimentar". O relato é de Edson Luis de Matos, catador de material reciclável que mora em um albergue da cidade.

Edson Luis de Matos, catador de material reciclável - Daniel Leite / Colaboração para o UOL
Edson Luis de Matos, catador de material reciclável
Imagem: Daniel Leite / Colaboração para o UOL
Percebendo as ruas vazias por causa da pandemia do novo coronavírus, Edson caminhou quase um quilômetro para buscar pães que passaram a ser oferecidos gratuitamente pelo estabelecimento.

"Está difícil de conseguir alguma coisa para se alimentar. Aí a gente pega onde tem, né, porque está tudo fechado praticamente."

Perguntado se ele tem almoço e janta garantidos, disse que não. "Mas o pão eu tenho."

A proprietária da padaria, Marlize Lima de Castro Gonçalves, fala emocionada sobre a iniciativa, porque tem consciência do bem que está fazendo.

"A gente está passando por essa crise, por essa fase tão difícil. Pensamos nisso para amenizar um pouco a dor de quem não tem o que comer, de quem passa necessidade mesmo. Vimos isso como uma iniciativa do bem, que poderia mudar algumas realidades. O pão pode parecer pouco, mas é um pouco que pode fazer diferença na vida das pessoas."

Clientes elogiam

Apesar de cliente assídua, Lúcia Fortes não tinha notado a placa. Alertada pela reportagem, ela reagiu pensando em quem precisa, em dias de baixa no movimento nas ruas.

"É uma boa iniciativa. Tem gente que não tem condição. Tem vontade e fica na vontade, porque não tem dinheiro. Achei muito válido."

Para a aposentada, além dos moradores de rua, quem vai mais se beneficiar são os vendedores ambulantes. "Os ambulantes também têm que comer e não têm como ganhar o pão de cada dia", comenta.

Luvas no almoço

A proprietária da padaria onde os pães estão sendo oferecidos gratuitamente teve a ideia no início da semana. Antes disso, já havia alterado hábitos entre os funcionários e está recomendando alguns procedimentos também aos clientes.

Na hora em que a padaria oferece almoço, a preferência é para que as próprias funcionárias montem os pratos. Se o freguês não quiser dessa forma, é orientado a lavar as mãos antes e utilizar luvas oferecidas pelo estabelecimento — que, segundo Marlize, são descartadas depois.

O motoboy Felipe Rocha lavou as mãos com o álcool gel deixado ao lado da cesta de pães gratuitos. Na correria do trabalho, também não tinha percebido que a padaria para a qual faz entrega está doando pães.

"Legal a iniciativa da padaria, porque acaba ajudando o pessoal mais necessitado que não tem a condição de levar o alimento para casa, os moradores de rua que estão sem amparo. O momento é esse, de todo mundo ajudar o outro."

Situação de emergência em Juiz de Fora

A cidade de 568 mil habitantes, a 262km de Belo Horizonte, tem oito casos confirmados da covid-19 e declarou Situação de Emergência em Saúde Pública no último dia 18, restringindo uma série de serviços não essenciais.

A universidade federal também paralisou as atividades. Juiz de Fora é o terceiro município com o maior número de infectados em Minas.

Notícias