PUBLICIDADE
Topo

Após dias isolados, brasileiros deixam cruzeiro em Lisboa e são repatriados

Empresário Cláudio Ferreira conta que ficou 28 horas sem dormir, por causa da confusão envolvendo a saída do navio e a volta ao Brasil - Arquivo pessoal
Empresário Cláudio Ferreira conta que ficou 28 horas sem dormir, por causa da confusão envolvendo a saída do navio e a volta ao Brasil Imagem: Arquivo pessoal
do UOL

Marcelo Tuvuca Freire

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/03/2020 19h29

Resumo da notícia

  • Brasileiros que estavam retidos em um cruzeiro atracado em Lisboa, devido à pandemia de covid-19, foram repatriados em voos para o país
  • No total, 1.338 turistas de 38 países -- entre eles, aproximadamente 700 brasileiros -- estavam no navio quando ele chegou a Lisboa
  • A MSC Cruzeiros, empresa responsável pelo cruzeiro, afirmou que o desembarque dos turistas "está previsto para durar pelo menos até hoje"

A maior parte dos brasileiros que estavam retidos em um cruzeiro atracado em Lisboa, devido à pandemia de covid-19, já foi repatriada em voos para o país, depois de ficarem dias isolados no navio MSC Fantasia, no porto da capital portuguesa.

Cerca de 450 turistas brasileiros embarcaram na última terça-feira em um avião fretado rumo a São Paulo e chegaram à capital paulista na madrugada de ontem. Segundo a Agência Lusa, citando o Ministério da Administração Interna de Portugal, outro voo para São Paulo saiu de Lisboa na noite de ontem com 278 pessoas — seriam 39 passageiros e 239 tripulantes do navio, de acordo com o órgão.

No total, 1.338 turistas de 38 países — entre eles, aproximadamente 700 brasileiros — estavam no MSC Fantasia quando ele chegou a Lisboa. O governo de Portugal, com o apoio das embaixadas dos países e da empresa responsável pelo navio, organizou os voos de retorno dos passageiros — Alemanha e Inglaterra também receberam aeronaves exclusivas com turistas de seus países.

O UOL questionou a MSC Cruzeiros sobre a quantidade de brasileiros que ainda estariam confinados no navio, assim como os detalhes sobre os voos fretados para o país. A empresa não respondeu diretamente a essas questões, afirmando apenas que o desembarque dos turistas "está previsto para durar pelo menos até hoje" (veja abaixo a nota na íntegra).

O UOL também questionou o Ministério das Relações Exteriores e a Embaixada Brasileira em Lisboa sobre a situação dos turistas que ficaram presos no navio. A Embaixada disse estar "em contato com a MSC e as companhias aéreas para poder prestar apoio a brasileiros que possam eventualmente ter ficado em Portugal".

"Estamos trabalhando para que todos os brasileiros retidos em Portugal possam retornar ao Brasil", acrescentou o órgão.

O Itamaraty, por sua vez, informou que "a responsabilidade da repatriação dos brasileiros retidos em cruzeiros cabe à empresa patrocinadora da viagem" e afirmou estar agindo "apenas quando acionado por brasileiros".

Do navio para a quarentena

O empresário Cláudio Ferreira, de Salvador, retornou ao Brasil no primeiro voo, que desembarcou em São Paulo na madrugada de ontem.

Ele, que estava no cruzeiro com a mulher, contou ao UOL que chegou a ficar 28 horas sem dormir, por causa de toda a confusão envolvendo a saída conturbada do navio, na manhã de terça, e a viagem até o Brasil.

Ferreira, 56, entrou em quarentena logo após o desembarque e agora procura um laboratório para saber se contraiu o novo coronavírus. Ao menos um passageiro, de nacionalidade portuguesa, testou positivo para a covid-19 após desembarcar do navio.

Escolta para o aeroporto

O MSC Fantasia atracou em Lisboa no domingo (22). No dia seguinte, a tripulação pediu isolamento completo dos passageiros em suas respectivas cabines após confirmarem que o turista português havia testado positivo para o coronavírus.

Segundo Cláudio Ferreira, houve apreensão geral entre os passageiros, que não receberam nenhuma informação complementar à do isolamento. Eles foram acordados nas primeiras horas e comunicados de que seriam prontamente retirados do navio. "Não foi informado nada, apenas que temos que sair correndo agora. Tudo muito confuso. Não sabemos nem que horas será o voo e nem para onde vamos", relatou o empresário, em mensagem enviada na manhã de terça.

Os turistas foram colocados em vários ônibus, separados de acordo com sua nacionalidade, e tiveram escolta da polícia portuguesa até o aeroporto Humberto Delgado. Os veículos ingressaram diretamente na pista, permitindo que os passageiros deixassem os ônibus e já subissem nos aviões.

Mudança de itinerário

O cruzeiro saiu do Rio de Janeiro rumo à Europa em 9 de março, com várias paradas programadas até o destino final em Gênova, na Itália, no dia 28.

Passageiros relataram que, naquele momento, a empresa garantiu que o roteiro seria cumprido, mesmo com a informação de que a Itália já registrava mais de 7 mil infectados e 300 mortos pelo coronavírus no dia 9 de março.

Com a explosão de casos da covid-19, todo o itinerário foi alterado enquanto o navio estava em alto-mar, e a única parada foi para o desembarque geral em Lisboa.

Resposta da MSC Cruzeiros

"À medida que a emergência de saúde pública em relação ao COVID-19 continua evoluindo, as autoridades de todos os países do itinerário da Grand Voyage do MSC Fantasia fecharam efetivamente seus portos para todos os navios de cruzeiro. Devido a isso, o navio navegou em direção a Lisboa, onde será o seu destino final.

O MSC Fantasia chegou à Lisboa, em Portugal, dia 22 de março, às 9h, horário local. Este é o porto final do cruzeiro do MSC Fantasia. Tendo em vista a decisão da MSC Cruzeiros de interromper, temporariamente, todas as suas operações até 30 de abril, o MSC Fantasia deixará agora de operar.

A MSC Cruzeiros cooperou com as autoridades portuguesas para coordenar a chegada do navio a Lisboa e o desembarque dos passageiros. Todos os passageiros voltarão para seus países de origem logo após desembarcarem do navio.

O desembarque está previsto para durar pelo menos até a quinta-feira, 26 de março, para permitir que os hóspedes cumpram seus planejamentos aéreos ou outras conexões de viagem. Isso se deve à disponibilidade extremamente limitada de voos para muitos dos países em que os hóspedes residem. Para a grande maioria dos passageiros, a MSC Cruzeiros organizou - sob a orientação de autoridades locais - voos charters diretos ou outro transporte de acordo com a nacionalidade.

Além disso, para maior comodidade dos hóspedes, fornecemos a todos eles acesso gratuito à internet até o final do cruzeiro.

Os passageiros receberão uma carta de crédito no valor do pacote do cruzeiro, que poderá ser resgatada em um cruzeiro futuro, a qualquer momento até o final de 2021, e um crédito a bordo de 200 Euros/Dólares, por cabine, reembolsável, a ser utilizado no futuro cruzeiro.

Quaisquer pacotes pré-pagos (bebidas, excursões, etc.), proporcionais aos dias não usufruídos do cruzeiro, também serão automaticamente reembolsados.

A MSC Cruzeiros gostaria de agradecer às autoridades portuguesas por sua cooperação. Queremos também pedir desculpas aos nossos passageiros pela inconveniência que essa situação criou e agradecer a eles por sua confiança e compreensão."

Notícias