PUBLICIDADE
Topo

Parintins (AM) decreta toque de recolher após morte por covid-19 na cidade

Prefeitura de Parintins colocou em funcionamento a Unidade Básica de Saúde Fluvial para atendimentos na rampa do Mercado Central - Divulgação/Prefeitura de Parintins
Prefeitura de Parintins colocou em funcionamento a Unidade Básica de Saúde Fluvial para atendimentos na rampa do Mercado Central Imagem: Divulgação/Prefeitura de Parintins
do UOL

Carlos Madeiro

Colaboração para o UOL, em Maceió

25/03/2020 23h14

Um dia após registrar a primeira morte fora do eixo Rio-São Paulo por covid-19, a prefeitura de Parintins (AM) decretou hoje toque de recolher no município por 14 dias. Com isso, fica proibido a circulação de pessoas nas ruas da cidade entre 20h e 6h.

Segundo a prefeitura, a decisão segue recomendação do MP (Ministério Público) do Amazonas e da Defensoria Pública e tenta frear a proliferação do coronavírus na cidade.

De acordo com o decreto, o descumprimento vai acarretar em multas de R$ 300 e, em caso de reincidência, R$ 600. Também serão apreendidos veículos que descumprirem a ordem. A fiscalização será realizada pela Polícia Militar.

Só estão fora do toque de recolher pessoas que atuam em atividades essenciais, como profissionais da saúde ou funcionários de farmácias, por exemplo.

A cidade tem dois casos confirmados de covid-19 e outras 85 pessoas em monitoramento.

"Esse toque de recolher se dá justamente para que a gente combata cada vez mais a proliferação do coronavírus. Esse vírus já está em Parintins. Nós sabemos e a população precisa estar atenta do falecimento de um cidadão que contraiu o vírus fora do nosso município,mas que passou por aqui. Portanto, nós temos que, realmente, ficar em casa, cumprir a quarentena", afirmou o prefeito Bi Garcia (PSDB) em pronunciamento oficial feito hoje à tarde e transmitido pelo perfil da prefeitura em uma rede social.

O homem que morreu vítima de covid-19 era um comerciante na cidade e tinha 49 anos. Ele estava no Hospital e Pronto Socorro de Manaus, para onde havia sido transferido e ficado internado por quatro dias.

A vítima apresentou quadro de insuficiência respiratória com grave comprometimento pulmonar. O paciente era portador de hipertensão arterial sistêmica. A pedido da família, ele terá o corpo cremado.

Após a morte do comerciante, o prefeito anunciou hoje a contratação 177 técnicos de saúde para auxiliar na orientação e prevenção do coronavírus. Mil testes rápidos para a detecção do vírus também serão adquiridos, com ajuda do Ministério da Saúde. Para as pessoas de baixa renda, haverá a doação de 3 mil cestas básicas e kits de limpeza.

Ontem, a prefeitura colocou em funcionamento a Unidade Básica de Saúde Fluvial para atendimentos na rampa do Mercado Central. A unidade funciona das 8h às 17h, incluindo sábados e domingos, e o público-alvo são os moradores da zona rural. A ideia do atendimento a moradores é evitar que os pacientes sigam até um dos dois hospitais da cidade.

"Vamos filtrar logo essa população do interior na chegada à cidade, para que não se dirijam ao Hospital onde o fluxo é crescente", afirma coordenadora de saúde rural de Parintins, Samantha Sampaio.

Notícias