PUBLICIDADE
Topo

Líder da Chechênia diz que pessoa que encerrar quarentena deve ser morta

O presidente tchetcheno Ramzan Kadyrov discursa durante protesto - Yelena Fitkulina/AFP
O presidente tchetcheno Ramzan Kadyrov discursa durante protesto Imagem: Yelena Fitkulina/AFP
do UOL

Do UOL, em São Paulo

25/03/2020 17h39

O presidente da Chechênia, Ramzan Kadyrov, afirmou à mídia local que as pessoas que interromperem a quarentena após testes positivos para covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus, devem ser mortas.

"Se você me perguntar, qualquer um que criar esse problema por si próprio deve ser morto. Ele não apenas fica doente, mas sua família e seus familiares", disse Kadyrov a um repórter de televisão local.

Na fala, ele referia-se a um residente checheno que voltou ao país e desrespeitou as regras de quarentena.

Em uma reunião de governo, o ministro da Saúde Elkhan Suleymanov já havia reclamado de três pessoas que haviam retornado da Turquia e da Arábia Saudita, e haviam apresentado sintomas da doença.

A Chechênia é uma das repúblicas que compõem a Rússia. A ameaça também foi relatada ao presidente russo, Vladimir Putin.

Segundo informação da revista "Newsweek", a Rússia registrou 658 casos por coronavírus em todo o território nacional.

Notícias