PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Esse conteúdo é antigo

Coronavírus: Crivella quer levar idoso de favelas para isolamento em hotéis

coronavirus - iStock
coronavirus Imagem: iStock
do UOL

Vinicius Konchinski

Colaboração para o UOL, em Curitiba

21/03/2020 13h19

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), afirmou hoje que pretende levar idosos que moram em favelas, em residências precárias, para hotéis da cidade. A ideia é que eles fiquem isolados em estabelecimentos turísticos vazios por conta da pandemia do coronavírus.

Crivella falou sobre a ideia neste sábado, em entrevista coletiva transmitida pela internet. Não deu detalhes sobre como e quando a medida será tomada. Informou que a Secretaria de Fazenda do Rio de Janeiro está em contato com hotéis que podem abrigar os idosos.

"Diversos hotéis que estão fechados e pessoas do grupo de risco podem ser isolados ali", afirmou. "Ideia é oferecer a oportunidade de fazer isolamento social para quem não tem como fazer isso em sua casa."

O prefeito afirmou que tem cadastros sobre os idosos ou doentes que moram em favelas da cidade. Alguns deles recebem tratamento por conta de tuberculose, por exemplo.

Crivella afirmou também que a prefeitura está trabalhando para abrir três abrigos para moradores de rua. A medida também visa a conter a transmissão do coronavírus no Rio.

Mercados com delivery e 24 horas

O prefeito afirmou também que vai solicitar que todos os supermercados da capital fluminense passem a fazer entregas de compras durante a pandemia. O prefeito disse ainda que vai encorajar que os mercados trabalhem 24 horas por dia para evitar aglomerações.

"Pedimos que todos os supermercados disponibilizem um telefone para entrega e priorizem o delivery para idosos", disse Crivella, em apelo a empresários.

O próprio Crivella disse que recebeu informes de que pessoas estariam aglomerando-se em filas para fazer compras por medo de desabastecimento.

Contaminação abaixo da esperada

A cidade do Rio de Janeiro tem 94 casos de infectados pelo coronavírus e 164 suspeitos. Não houve morte. Segundo o prefeito, o crescimento do número de infectados está abaixo das estimativas feitas pelos órgãos de saúde da própria prefeitura, o que é positivo.

Mesmo assim, a cidade segue em estado de emergência. A orientação para a população é que se mantenha em casa, isolada, para conter a transmissão.

De acordo com o último balanço sobre o coronavírus divulgado na sexta-feira (20) pelo Ministério da Saúde, o Brasil tem 904 casos confirmados de infecção. Onze mortes foram confirmadas.

A Secretaria Estadual de Saúde do Rio, informou neste sábado que o estado tem 110 casos de infectados pela covid-19 —segundo estado com mais casos do país, atrás de São Paulo. Nesta manhã, foi confirmada a terceira morte no estado causada por coronavírus.

A prefeitura fechou o BRT Transoeste neste sábado. Há menos circulação de ônibus nos BRTs Transcarioca e Transolímpica, mas eles seguem funcionando.

Já o governo do Estado restringiu a circulação de trens de passageiros e de barcas a partir deste sábado para isolar a capital.

Espaços administrados pelo município, como escolas, vilas olímpicas, parques, teatros e casas de convivência foram fechados ou tiveram seu horário de funcionamento alterado a fim de reduzir o fluxo diário de pessoas.

Notícias