PUBLICIDADE
Topo

F. Bolsonaro estima melhoras a Cid, mas vê reação como 'legítima defesa'

O senador Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado na tarde desta quarta-feira (19) em meio a um protesto de policiais que reivindicam aumento salarial - Sobral 24 HORAS
O senador Cid Gomes (PDT-CE) foi baleado na tarde desta quarta-feira (19) em meio a um protesto de policiais que reivindicam aumento salarial Imagem: Sobral 24 HORAS
do UOL

Do UOL, em São Paulo

20/02/2020 16h39

O senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ) desejou hoje no Twitter "melhoras" para Cid Gomes (PDT-CE), baleado ontem durante protesto de policial militares em Sobral, no Ceará, mas apontou que a reação dos manifestantes foi em "legítima defesa".

"Estimo melhoras ao senador Cid Gomes, o que não o isenta de ter provocado a reação, em legítima defesa, de pessoas que estão reivindicando melhores salários. Na democracia, existem instrumentos legais para resolver conflitos. Graças a Deus, o pior não aconteceu", escreveu o senador.

Ontem, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL) trocou farpas no Twitter com Ciro Gomes (PDT), irmão de Cid. O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou que o senador cearense teve uma "atitude insensata" ao tentar invadir um quartel da PM.

"[Ele] Tenta invadir o batalhão com uma retroescavadeira e é alvejado com um projétil de borracha. É inacreditável que um Senador da República lance mão de uma atitude insensata como essa, expondo militares e familiares a um risco desnecessário em um momento já delicado."

Ciro retrucou: "Deputado Eduardo Bolsonaro, será necessário que nos matem mesmo antes de permitirmos que milícias controlem o Estado do Ceará como os canalhas de sua família fizeram com o Rio de Janeiro."

Entenda o caso

O senador foi baleado ontem à tarde em Sobral, no interior do Ceará, em meio a um protesto de policiais militares. O político pilotava uma retroescavadeira e tentava furar o bloqueio de policiais que reivindicam aumento salarial.

O senador foi transferido para a Santa Casa de Misericórdia de Sobral no início da noite de ontem. Segundo a assessoria do Hospital do Coração de Sobral, para onde Cid foi levado inicialmente, o senador foi atingido por dois projéteis: um entrou na clavícula e saiu e outro o atingiu no pulmão esquerdo.

Cid deixou na manhã de hoje a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital do Coração. No começo da tarde, ele foi transferido para outra unidade de saúde em Fortaleza.

Em boletim médico, o Hospital Coração informou que Cid Gomes deu entrada na unidade vítima de ferimento por arma de fogo no hemitórax esquerdo. "Após atendimento inicial, seu estado evoluiu sem intercorrência, mantendo-se estável e com padrão respiratório normal".

Diante do quadro, o hospital informou que o senador não necessitava mais dos cuidados de terapia intensiva e teve alta para a enfermaria.

Também na manhã de hoje, o Hospital do Coração postou um vídeo de Cid Gomes agradecendo à equipe médica pelos cuidados e sem citar o episódio.

"Depois de extraordinários cuidados médicos que salvaram a minha vida, quero agradecer a toda a equipe médica do Hospital do Coração de Sobral", disse. "Eu já saio daqui sem necessidade de cuidados intensivos, já posso ser transferido para um quarto".

Horas depois de deixar a UTI em Sobral, Cid Gomes chegou ao Hospital Monte Klinikum, na capital cearense. Lá, ele foi recebido pelo governador Camilo Santana (PT) e o prefeito Roberto Cláudio (PDT).

Errata: o texto foi atualizado
Diferente do informado na legenda da foto, o senador Cid Gomes (PDT-CE) não foi atingido por balas de borrachas, e sim por dois projéteis. A informação foi corrigida.

Notícias