PUBLICIDADE
Topo

China corta taxa primária de empréstimo para ajudar economia em meio a surto de coronavírus

20/02/2020 07h37

Por Winni Zhou e Stanley White

XANGAI/TÓQUIO (Reuters) - A China cortou a taxa de empréstimo referencial nesta quinta-feira, como esperado, conforme as autoridades agem para reduzir os custos financeiros para empresas e sustentar a economia afetada pelo surto de coronavírus.

A taxa primária de empréstimo de um ano (LPR), nova medida de empréstimo referencial introduzida em agosto, foi reduzida em 10 pontos básicos, de 4,15% na fixação do mês anterior para 4,05%.

A LPR de cinco anos foi cortada em 5 pontos, de 4,80% para 4,75%.

Todos os 51 entrevistados em pesquisa da Reuters esperavam uma redução na LPR, com 38 deles, ou cerca de 75%, apostando em corte de 10 pontos para ambos.

O corte da LPR seguiu-se a uma medida similar na taxa de empréstimo de médio prazo do banco central na segunda-feira. Investidores apostam que as autoridades vão adotar mais afrouxamento monetário e medidas de estímulo fiscal no curto prazo para ajudar empresas menores com dificuldades para enfrentar a crise.

Mayank Mishra, macroestrategista do Standard Chartered Bank, disse que o corte da LPR pode não ser suficiente para superar o impacto econômico do vírus.

"As autoridades chinesas estão enviando uma mensagem de que o afrouxamento irá acontecer, mas acontecerá a um ritmo calculado. Eles não querem alimentar expectativas de que irão afrouxar agressivamente", disse Mishra.

"Esperamos mais afrouxamento monetário na forma de 100 pontos básicos na taxa de compulsório e 10 pontos no instrumento de empréstimo de médio prazo (MLF) além do que já vimos."

Notícias