PUBLICIDADE
Topo

Toffoli condena assassinato de jornalista e pede ação integrada da polícia

Presidente do STF, Dias Toffoli, durante seminário em Brasília - Divulgação
Presidente do STF, Dias Toffoli, durante seminário em Brasília Imagem: Divulgação
do UOL

Do UOL, em São Paulo

14/02/2020 19h11

Presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), o ministro Dias Toffoli lamentou na tarde de hoje o assassinato do jornalista Léo Veras, morto nesta quarta em Pedro Juan Caballero, cidade paraguaia que faz fronteira com o Brasil. O repórter investigava o crime organizado na região.

"É muito importante o trabalho coordenado das polícias para desmantelar organizações criminosas transnacionais e impedir que crimes como o que tirou a vida do jornalista Léo Veras não fiquem impunes e jamais se repitam", afirmou ele em visita a Campo Grande.

Veras apurava sobre o tráfico na fronteira entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul. Ele foi vítima de um ataque à sua casa e atingido por 12 disparos de pistola.

Toffoli, que viajou para o estado para visitar órgãos do Poder Judiciário, mencionou a criação de um grupo de trabalho na área da segurança. Presidido pelo ministro Alexandre de Moraes, o grupo pretende criar banco de dados integrado e garantir mais segurança aos magistrados da área criminal.

"Não há dúvidas de que o combate ao crime organizado nas áreas de fronteira pressupõe essencialmente ações integradas e efetiva cooperação institucional entre o sistema de justiça, os órgãos de investigação e de segurança pública", afirmou o presidente do STF.

Notícias