PUBLICIDADE
Topo

Japão começa a evacuar cruzeiro em quarentena

14/02/2020 10h57

Yokohama, Japão, 14 Fev 2020 (AFP) - As autoridades japonesas começaram a retirar, nesta sexta-feira (14), os idosos e as pessoas com saúde frágil do navio de cruzeiro em quarentena, cujos testes para o novo coronavírus deram negativo.

As pessoas com 80 anos, ou mais, em estado delicado de saúde, ou confinadas em cabines sem janela, receberam a opção de serem realocadas em terra.

Apenas aqueles que testaram negativo para o novo coronavírus que infectou 218 pessoas a bordo poderão se beneficiar desta medida.

Os primeiros entre eles deixaram o "Diamond Princess" e imediatamente entraram em um ônibus com janelas fechadas. Os motoristas estavam equipados da cabeça aos pés com vestimenta de proteção, máscara e óculos, constatou um jornalista da AFP.

Uma autoridade do governo informou que 11 pessoas saíram, mas não disse se outras pessoas deixarão o navio nesta sexta.

Independentemente do coronavírus, o estado de saúde dos passageiros mais frágeis poderia piorar em razão da quarentena a bordo, que deve durar até 19 de fevereiro.

O secretário de Estado da Saúde, Gaku Hashimoto, subiu a bordo do navio para anunciar que todos os passageiros considerados em "risco elevado" em razão de seu estado geral seriam submetidos a testes de detecção.

Os casos positivos serão hospitalizados, enquanto aqueles que testarem negativo poderão ir para alojamentos preparados pelo governo, acrescentou Hashimoto em uma declaração em inglês lida pelo capitão da embarcação.

Quando chegou a Yokohama (sudoeste de Tóquio) em 3 de fevereiro, o navio tinha 3.711 passageiros e tripulantes. Esse número diminuiu, à medida que os infectados foram evacuados e hospitalizados, assim como alguns que necessitavam de cuidados médicos por outros motivos.

Atualmente, dez pessoas internadas se encontram em estado grave, acrescentou o ministro da Saúde, Katsunobu Kato.

Além dos 218 casos positivos no "Diamond Princess", bem como o de um oficial de quarentena contaminado a bordo, o Japão registrou outros 36 casos de infecção por coronavírus em seu território.

Uma senhora octogenária infectada pelo vírus morreu no hospital. Segundo relatos da mídia, era a sogra de um motorista de táxi, também contaminado.

As autoridades da cidade de Tóquio anunciaram nesta sexta-feira que duas pessoas que participavam da mesma festa de Ano Novo que o motorista do táxi também estavam infectadas. Uma delas teve contato com turistas da província chinesa de Hubei, berço do vírus.

Um novo caso, uma taxista de 60 anos, também foi confirmado na ilha de Okinawa, onde pode ter entrado em contato com passageiros do "Diamond Princess" quando ele fez escala no porto da cidade, segundo autoridades locais.

Um homem também foi testado positivo na periferia de Tóquio, além de um médico e um paciente em um hospital em Wakayama (oeste do Japão). O estabelecimento está fechado para visitantes, e todo o pessoal médico será submetido a testes.

O porta-voz do governo Yoshihide Suga garantiu, no entanto, que "não há evidências epidemiológicas suficientes" para apoiar uma propagação da epidemia no Japão.

O governo japonês já evacuou centenas de cidadãos da província de Hubei em voos fretados. Um quinto voo foi anunciado para domingo.

kh-mis-etb-uh/sst/mr/tt

Notícias