PUBLICIDADE
Topo

Italianos vão às urnas na Emilia-Romagna e na Calábria

26/01/2020 11h19

ROMA, 26 JAN (ANSA) - Cerca de 5,5 milhões de eleitores italianos da Emilia-Romagna e da Calábria foram convocados às urnas neste domingo (16) para renovar a Assembleia Legislativa e escolher um novo governador.   

A eleição, apesar de regional, terá um caráter especial, principalmente na Emilia-Romagna. A região é um histórico feudo da esquerda italiana e berço do movimento das "sardinhas", grupo que tomou as ruas do país para protestar contra o ex-ministro do Interior Matteo Salvini e a extrema direita.   

O pleito também colocará à prova a capacidade da esquerda enfrentar a ascensão do ex-vice-premier da Itália.   

Na Emilia-Romagna, a candidata da Liga, Lucia Borgonzoni, desafia o governador Stefano Bonaccini, do Partido Democrático (PD), que aparece como favorito nas pesquisas. Já na Calábria, o independente de esquerda Filippo Callipo, apoiado pelo PD, enfrenta Jole Santelli, do Força Itália (FI), partido conservador de Silvio Berlusconi e aliado da Liga - as sondagens na região dão ampla vantagem à direita.   

Os colégios eleitorais foram abertos neste domingo às 7h e serão fechados às 23h (horário local). Por volta do meio-dia, os dados do Viminale indicaram que o número de eleitores está sendo muito acima da expectativa, especialmente na Emilia-Romagna, onde a participação é superior a 23%, um crescimento de 12 pontos em comparação com o pleito regional de 2014.   

Na Calábria, o aumento é mais contido, pois a participação é superior a 10,14%, enquanto nas eleições anteriores foi de 8,46%.   

A Emilia-Romagna conta com pouco mais de 3,5 milhões de eleitores, por volta de 800 mil somente na área de Bolonha. A Calábria, por sua vez, possui 1,9 milhão. A contagem de votos ocorrerá durante a noite.(ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias