PUBLICIDADE
Topo

Estoques de bancos de leite de Campinas e de SP estão abaixo do ideal

14/01/2020 17h46

Os bancos de leite humano do Hospital Maternidade de Campinas e da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp)/Hospital São Paulo (HSP) pedem ajuda para repor os estoques, que estão abaixo do ideal e cuja reposição foram prejudicadas, principalmente, pelo período de férias escolares. As duas maternidades estão entre as principais em suas respectivas regiões: de Campinas e da capital paulista.

Atualmente o estoque do Hospital Maternidade de Campinas é de cerca de 90 litros, volume que representa 45% do ideal para suprir com tranquilidade o atendimento aos 62 leitos dos recém-nascidos internados na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) e na Unidade de Cuidados Intensivos - Neonatal (UCI). Cada litro de leite materno doado pode alimentar até dez recém-nascidos por dia.

Em 2019, a média do estoque do Banco de Leite foi de 119 litros mensais. Em dezembro, houve uma queda de 15 litros em relação ao mês anterior. De acordo com a nutricionista do banco de leite do hospital, Maitê Galhardo Zuccholini, o principal motivo para essa redução são as férias escolares e as festas de fim de ano. "No final do ano muita gente viaja e fica um tempo sem doar, ou os filhos estão em férias em casa e o aumento das atividades dificulta que as mães façam a doação".

Coleta na região

A coleta de leite materno não se limita às mães que realizam partos na Maternidade de Campinas. Para abastecer o Banco de Leite Humano são retiradas as doações nas residências das mães que moram também em outros municípios.

Para ser doadora é necessário que a mulher seja saudável, que esteja amamentando o próprio filho e que tenha uma produção excedente de leite após a mamada. O contato pode ser feito diretamente com o Banco de Leite pelo telefone (19) 3306-6039 para o preenchimento do cadastro.

Para ser doadora, são solicitados exames de sangue, comumente os realizados no pré-natal. O Ministério da Saúde preconiza que é necessário realizar as sorologias de sífilis, hepatites B e C, doença de Chagas, HTLV (Vírus Linfotrópico da Célula Humana) e HIV. As crianças internadas na UTI Neonatal têm um peso extremamente baixo e precisam de cuidados especiais, por isso é preciso garantir a qualidade do leite e que ele não tenha nenhuma contaminação. Caso a doadora não tenha os exames, pode agendá-los na própria Maternidade de Campinas. 

Todo material para a coleta e estocagem, que podem ser feitas pela doadora em sua própria residência, é fornecido pelo banco de leite. "Quando a mulher vem fazer o cadastro já entregamos todo o material de coleta, depois só recolhemos semanalmente na casa dela", explica a nutricionista.

A coleta na residência é feita pelo motorista da maternidade, acompanhado por uma técnica de enfermagem do banco de leite, de segunda a sexta-feira. O leite doado é transportado em caixas isotérmicas com gelo (geloc) e com controle de temperatura feito por termômetro digital.

A nutricionista do Banco de Leite Humano da Unifesp/HSP, Adriana Rosa Carneiro, mostra o estoque atual de leite humano pasteurizado e congelado pela instituição - Rovena Rosa/Agência Brasil

Banco de Leite da Unifesp

Embora tenha apoio das doadoras atuais e da equipe do Hospital São Paulo (HSP), o Banco de Leite Humano da Unifesp/HSP também está com o estoque muito baixo e não consegue suprir o volume necessário a todos os bebês internados na UTI Neonatal. Segundo a nutricionista do banco, Adriana Rosa Carneiro, o ideal é uma captação de 45 litros mensais. 

"No momento, o estoque do Banco de Leite da Unifesp, que atende aos prematuros da UTI Neonatal do Hospital São Paulo, está em defasagem. Temos cerca de 15 litros em estoque. A cada semana, encaminhamos a UTI Neo cerca de 8 litros. Ou seja, estamos com nosso estoque no limite. Para comparar, em dezembro de 2019 tínhamos cerca de 40 litros", lamentou Adriana.

O Posto de Coleta (PC) do Banco de Leite, localizado no 8º andar do HSP, ao lado da UTI Neonatal, é aberto às pacientes internadas em todos os setores do hospital e às funcionárias que desejam ser doadora. O funcionamento do PC é das 8h às 11h30 e das 13h às 15h, de segunda a sexta-feira. 

Já o Banco de Leite Humano - Centro Ana Abrão, localizado na Rua Dr. Diogo de Faria, nº 395, funciona de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, sendo responsável pelas coletas domiciliares de doadoras externas ao HSP. "Realizamos a coleta toda segunda e terça-feira. A cada dia conseguimos ir à residência de 12 doadoras. Todavia, agora em janeiro, nessa última segunda-feira, conseguimos recolher de apenas três domicílios", disse a nutricionista.

Adriana destaca a importância do leite materno, principalmente para os prematuros. "O leite cru da mãe, cujo filho está internado na UTI, é considerado padrão ouro pelo Ministério da Saúde. Quando a mãe não consegue realizar a extração, por diversos motivos, o Banco de Leite Humano precisa da doação. O leite materno protege o sistema imunológico do prematuro, protegendo-o contra infecções, condição imprescindível ao prematuro". 

Mais informações sobre o Banco de Leite Humano da Unifesp/HSP no telefone (11) 5539-0155. 

Notícias