PUBLICIDADE
Topo

Morto após perseguição da PM na marginal Pinheiros levou 7 tiros, diz BO

Perseguição policial na região do Jaguaré terminou com dois mortos e uma ferida - Google Street View-Reprodução
Perseguição policial na região do Jaguaré terminou com dois mortos e uma ferida Imagem: Google Street View-Reprodução
do UOL

Luís Adorno

Do UOL, em São Paulo

14/01/2020 16h02

Resumo da notícia

  • Perseguição da PM na noite de sexta (10) terminou com suspeito e inocente mortos
  • Polícia Civil tenta identificar se inocentes foram atingidos por PM ou criminosos
  • Suspeito foi baleado sete vezes; no local onde ele foi morto, havia quatro cartuchos de disparos dos PMs

Após uma perseguição policial na noite de sexta-feira (10) em São Paulo, que começou na avenida das Nações Unidas (Marginal Pinheiros) e terminou na ponte do Jaguaré, um suspeito de realizar assaltos foi morto por policiais militares com sete tiros, segundo o Boletim de Ocorrência (BO) registrado.

O documento também afirma que foram localizados quatro cartuchos ao lado do corpo do suspeito, identificado como Giliarde João da Silva, 27, que teriam sido disparados pelos policiais. Silva também teria realizado quatro disparos, segundo análise de sua arma.

Os PMs que agiram no caso afirmaram em depoimento que foram acionados com a denúncia de que quatro pessoas estariam assaltando com um carro na região do Jaguaré. Ao encontrarem o carro, Silva teria disparado na direção dos PMs e iniciado a troca de tiros.

"[Silva] é um dos indivíduos que estava no veículo perseguido pelos policiais e foi socorrido ao Hospital Universitário, onde veio a óbito. [...] Apresentava sete ferimentos perfuro-contuso: três no peito, um no abdômen direitos, um na coxa esquerda, um na virilha esquerda e um, atrás, no ombro direito, oriundos de disparos de arma de fogo", relata o BO.

O Departamento de Homicídio e de Proteção à Pessoa (DHPP) tenta esclarecer quantos disparos foram efetuados ao todo e se foi um PM ou um criminoso quem atirou contra os inocentes atingidos.

Um homem de 28 anos e uma mulher de 50 foram baleados durante a perseguição. Como não se sabe de quem partiu o tiro, a polícia indica que os dois foram atingidos por "bala perdida". Socorridos, o homem não resistiu aos ferimentos, e a mulher, internada em estado grave.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), todas as circunstâncias da ocorrência serão apuradas no inquérito policial e no Inquérito Policial Militar instaurados pelo DHPP e pela Polícia Militar, respectivamente.

Três locais, dois mortos e uma ferida

Segundo a Polícia Civil, os PMs da Força Tática envolvidos na ocorrência tiveram conhecimento por meio de chamadas do 190 que quatro homens em um Ford Focus estavam roubando pessoas na região do Jaguaré.

Os PMs os localizaram no quilômetro 12 da avenida Nações Unidas, na altura da ponte Estaiada. A perseguição passou pelo acesso da ponte Jaguaré e terminou no cruzamento entre as avenidas Onofrio Milano e José Marai da Silva.

Nesse ponto, que fica na entrada da favela do Jaguaré, Giliarde Silva, que estaria no banco do passageiro do carro, passou a trocar tiros com os PMs. Os outros três que estariam dentro do carro fugiram e, até esta publicação, ninguém havia sido localizado.

Segundo a PM, durante a troca de tiros, um policial quase foi atingido e chegou a cair da moto. Mas antes disso, outras duas pessoas que não tinham ligação com a ocorrência foram baleadas.

A mulher H.C.S, 50, foi atingida quando estava na avenida José Cesar de Oliveira.

David de Oliveira Leite, 28, que não resistiu aos ferimentos, foi baleado enquanto trabalhava como técnico de celular na Mundovox Comunicações, na avenida Queiroz Filho, em frente a um condomínio.

"Os três locais são locais externos. No entanto, onde houve o confronto final, trata-se de uma pequena cabana, onde Giliarde João da Silva correu após sair do veículo, numa tentativa de se homiziar dos policiais que o perseguiram", relata o BO.

Notícias