PUBLICIDADE
Topo

UE lança Pacto Verde e fala em neutralizar emissões em 2050

11/12/2019 17h37

BRUXELAS, 11 DEZ (ANSA) - A recém-empossada presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, apresentou nesta quarta-feira (11) um plano para reduzir as emissões de poluentes no continente, chamado de "Green Deal" ("Pacto Verde", na tradução).   

Um dos principais objetivos do Pacto Verde é alcançar a neutralidade de carbono até 2050, através da adoção de 50 mecanismos de redução de CO2 na Europa e da aprovação de uma "lei climática" que será apresentada no próximo mês de março. "Alguns dizem que o custo dessa transformação é muito alto. Mas nunca devemos esquecer qual seria o custo da inação", disse Von der Leyen, em discurso ao Parlamento Europeu, ressaltando que o pacto é "como o momento do homem pisando na Lua".   

"O Pacto Ecológico Europeu é a nossa nova estratégia de crescimento, um crescimento que adiciona mais do que subtrai", defendeu a alemã. "O nosso objetivo é reconciliar a economia com o nosso planeta, com a forma como produzimos, como consumimos, e fazer com que isso funcione para as pessoas", explicou a líder da Comissão.   

Os detalhes do plano serão apresentados no primeiro semestre de 2020, mas Von der Leyen já propôs a criação de um mecanismo de "transição justa" que permitirá a mobilização de fundos públicos e privados de até 100 bilhões de euros.   

A Comissão também deseja impor metas de redução de emissões de gases de efeito estufa mais ambiciosas até 2030, passando dos atuais 40% para até 50% ou 55%. "Os povos europeus fizeram um chamado decisivo para as mudanças climática. Saíram às ruas e, hoje, estamos aqui por eles, para dizer que escutamos de maneira clara e forte. Eis nossa resposta", disse Von der Leyen. "A UE será um modelo na COP de Glasgow. Cada continente deve encontrar seu próprio caminho, mas o objetivo deve ser igual para todos, e a mudança deve ser encorajada, não obstruída. Se as empresas respeitarem o ambiente e investirem em tecnologia verde, não serão permitidas desvantagens da concorrência desleal que polui. Aplicaremos um mecanismo de adaptação de emissões em plena conformidade com a Organização Mundial do Comércio (OMC)", ressaltou. Ursula von der Leyen assumiu a Comissão Europeia no último dia 1 e sinaliza que o tema ambiental estará entre os focos de sua gestão. No entanto, suas ambições devem encontrar resistência em alguns países-membros da União Europeia, como Polônia, Hungria e República Tcheca, além de montadoras e multinacionais. Apesar de bem-recebido por ONGs e entidades ambientais, como o Greenpeace, o Pacto foi considerado insuficiente para a emergência climática. O "Green Deal" também foi apresentado paralelamente à realização da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP25), em Madri, na Espanha. (ANSA)
Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.


Notícias