PUBLICIDADE
Topo

Unicef pede urgência na investigação das mortes de jovens em Paraisópolis

O corpo de Denys Henrique Quirino da Silva, 16, é sepultado no cemitério da Nova Cochoeirinha, na zona norte da capital. O garoto foi morto após operação policial em baile funk na comunidade de Paraisópolis - Danilo Verpa/Folhapress
O corpo de Denys Henrique Quirino da Silva, 16, é sepultado no cemitério da Nova Cochoeirinha, na zona norte da capital. O garoto foi morto após operação policial em baile funk na comunidade de Paraisópolis Imagem: Danilo Verpa/Folhapress
do UOL

Do UOL, em São Paulo

06/12/2019 22h05

O Unicef (O Fundo das Nações Unidas para a Infância) divulgou uma nota pedindo que as mortes do nove jovens em Paraisópolis sejam apuradas com urgência.

Os nove jovens, de 14 a 23 anos, morreram pisoteados depois que a Polícia Militar entrou no baile na favela da Zona Sul.

A Agência ressaltou que, diante das mortes violentas, "centenas de jovens [estão] com medo".

Outras instituições como a OEA também pediram seriedade na apuração das mortes.

O Unicef também expressou total solidariedade "para cada família, amigo e morador de Paraisópolis".

Ao fim, o Unicef garantiu que novas mortes precisam ser evitadas.

Notícias