PUBLICIDADE
Topo

Criação de empregos nos EUA tem melhor ritmo em 10 meses em novembro

06/12/2019 10h44

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - A criação de vagas de emprego nos Estados Unidos registrou o maior aumento em mais de dez meses em novembro, com ex-grevistas voltando à folha de pagamentos da General Motors e o setor de saúde intensificando as contratações, confirmando que a economia manteve-se em trajetória de expansão moderada apesar de uma queda prolongada na manufatura.

O relatório mensal de emprego do Departamento do Trabalho dos EUA mostrou nesta sexta-feira ganhos salariais constantes e queda da taxa de desemprego para 3,5%.

O relatório valida a decisão do Federal Reserve no mês passado de cortar as taxas de juros pela terceira vez este ano, mas sinaliza uma pausa no ciclo de flexibilização que começou em julho, quando o banco reduziu os custos de empréstimos pela primeira vez desde 2008.

A expectativa é de que as autoridades do Fed destaquem a resiliência da economia dos EUA quando se reunirem em 10 e 11 de dezembro.

A geração de empregos fora do mercado agrícola chegou a 266 mil vagas no mês passado, com a manufatura recuperando todas as 43 mil posições perdidas em outubro, mostrou a pesquisa.

O crescimento do emprego também foi impulsionado por um ganho de 60.200 trabalhadores na área da saúde. Isso elevou a criação de vagas bem acima da média mensal de 180 mil este ano.

Economistas consultados pela Reuters previam que a criação de empregos fora do setor agrícola chegaria a 180 mil postos de trabalho em novembro.

A economia criou 41 mil empregos a mais em setembro e outubro do que o estimado anteriormente. A greve de 40 dias de cerca de 46 mil trabalhadores nas fábricas da GM nos Estados de Michigan e Kentucky restringiu os ganhos de emprego a 156 mil vagas em outubro.

Embora o mercado de trabalho permaneça resiliente apesar da desaceleração do investimento empresarial, as contratações diminuíram em relação ao ganho mensal médio de 223 mil no ano passado, devido à redução da demanda e à escassez de trabalhadores.

Ainda assim, a criação de postos de trabalho ultrapassa os 100 mil empregos por mês necessários para acompanhar o crescimento da população em idade ativa. A taxa de desemprego caiu 0,1 ponto percentual no mês passado, ante 3,6% em outubro, com as pessoas deixando a força de trabalho.

O mercado de trabalho apertado está gerando ganhos salariais constantes. O salário médio por hora subiu sete centavos de dólar, ou 0,2%, depois de avançar 0,4% em outubro. Os salários subiram 3,1% em novembro, ante 3,2% em outubro.

Notícias