Topo

Coreia do Norte pressiona EUA por diálogo sobre desnuclearização

03/12/2019 08h02

Seul, 3 dez (EFE).- A Coreia do Norte lembrou nesta terça-feira que o prazo dado aos Estados Unidos para propor ofertas alternativas para desbloquear o diálogo sobre desnuclearização está se esgotando e sugeriu que poderia testar novamente armas nucleares e mísseis de longo alcance.

Em um texto publicado pela agência estatal "KCNA", o vice-chanceler norte-coreano, Ri Thae-song, alertou que Pyongyang tentou "não voltar atrás nos passos importantes que deu" para mostrar seu compromisso com o desarmamento.

Trata-se da moratória autoimposta em testes de armas atômicas e mísseis balísticos de médio alcance e intercontinentais.

"O que está pendente agora é a opção dos EUA e o tipo de presente de Natal que você escolherá receber depende inteiramente dos EUA", afirmou Ri.

Especialistas acreditam que, se não houver progresso nas negociações nas próximas semanas, o regime poderá começar a realizar testes com armas mais perigosas a partir de janeiro.

"O prazo de final do ano estabelecido pela República Popular Democrática da Coreia (nome oficial do país) para os EUA está cada vez mais próximo. No entanto, os EUA estão interessados em ganhar tempo", disse o vice-chanceler.

As negociações bilaterais não avançaram desde a fracassada cúpula de Hanói, ocorrida em fevereiro, onde Washington considerou insuficiente a oferta de Pyongyang em relação ao desmantelamento de seus ativos nucleares e se recusou a suspender sanções econômicas.

Nem a reunião realizada no início de outubro, em Estocolmo, serviu para desbloquear a situação.

Além disso, o regime norte-coreano também mostrou hoje o líder Kim Jong-un inaugurando um projeto imobiliário perto do Monte Paektu. Como algumas decisões importantes aconteceram nas visitas feitas a essa região, alguns especialistas acreditam que Pyongyang deseja aumentar a pressão com esse gesto. EFE

Notícias