Topo

Chile: Apresentadora expulsa advogado de programa de TV ao negar ditadura

Apresetadora pediu que advogado se retirasse do programa - Reprodução/Twitter
Apresetadora pediu que advogado se retirasse do programa Imagem: Reprodução/Twitter
do UOL

Do UOL, em São Paulo

01/12/2019 19h23Atualizada em 02/12/2019 09h34

Na última sexta-feira a apresentadora Tonka Tomicic fez um pedido inusitado em um programa de TV do Chile. Ela, que conduz o programa Bienvenidos 13 (Bem-Vindos 13, em tradução livre), pediu que o advogado Hermógenes Pérez de Arce se retirasse do estúdio.

"Não se pode compartilhar o espaço televisivo com uma pessoa que está negando parte da história do Chile", afirma Tomicic. A cena inquietante viralizou hoje nas redes sociais brasileiras.

Arce afirmou no programa que não houve tortura durante o período ditatorial causando revolta nos outros convidados.

O advogado é conhecido por ter sido muito próximo do ditador Augusto Pinochet, que governou o país por 17 anos.

Ao ser expulso, ele disse ter sido censurado pela jornalista.

Documentos e testemunhas provam que a ditadura chilena foi muito sangrenta, deixando cerca de 3.200 mortos e desaparecidos no período. Cerca de 40 mil foram presas e torturadas por razões políticas.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do publicado no último parágrafo deste texto, a ditadura chilena deixou cerca de 3.200 mortos e desaparecidos no período, e não 40 mil. Cerca de 40 mil pessoas foram presas e torturadas por razões políticas. 

Notícias