Topo

Confronto no Mali mata 24 soldados e 17 jihadistas

19/11/2019 00h09

Bamako, 19 Nov 2019 (AFP) - Ao menos 24 soldados e 17 combatentes jihadistas morreram nesta segunda-feira em um confronto no leste do Mali, informou o Exército, em mais um capítulo do conflito que sacode o país.

Forças do Mali e do Níger realizavam uma operação conjunta quando uma patrulha foi atacada por "terroristas" na zona da cidade de Tabankort, revelou o Exército nas redes sociais.

Segundo os militares do Mali, sua força teve "24 mortos e 29 feridos, além de danos materiais", enquanto 17 jihadistas foram eliminados e centenas de suspeitos, capturados.

Os prisioneiros estariam em poder das tropas do Níger.

Em um comunicado precedente, o Exército do Mali havia informado uma contra-ofensiva com forças da França e do Níger.

Este episódio representa outro forte golpe contra o Exército, que perdeu quase 100 soldados em dois ataques jihadistas em apenas um mês.

O Exército do Mali vem enfrentando dificuldades para conter a insurgência islâmica na região, apesar da ajuda de França, dos vizinhos africanos e das Nações Unidas.

O norte do Mali caiu nas mãos dos jihadistas em 2012 antes de os militantes serem expulsos por uma intervenção militar liderada pela França.

Mas os jihadistas se reagruparam para lançar ataques rápidos em atos de violência que se espalharam para o centro do Mali.

A Minusma, missão de paz da ONU composta por 13 mil homens no Mali, ajudou o Exército a construir a base Indelimane no ano passado, juntamente com soldados franceses.

O G5 Sahel, uma força-tarefa conjunta de cinco países, criada em 2014, para enfrentar a ameaça jihadista, também é ativo na região, e compreende tropas de Burkina Faso, Mali, Mauritânia, Níger e Chade.

bur-lal/ecl/lr

Notícias