Topo

Família morre em batida no RS após revelar gestação de 2º filho a parentes

Joenara, o filho e o marido, que moravam em Cachoeira do Sul, no RS - Arquivo Pessoal
Joenara, o filho e o marido, que moravam em Cachoeira do Sul, no RS Imagem: Arquivo Pessoal
do UOL

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, de Porto Alegre

17/11/2019 17h34Atualizada em 18/11/2019 18h45

Resumo da notícia

  • Carro com casal e filho de 5 anos bateu em S10 na BR-472
  • Motorista de caminhonete, de 74 anos, também morreu
  • Família havia acabado de descobrir gravidez de segundo filho
  • Os pais a e criança voltavam de festa com parentes

Um casal e seu filho de 5 anos morreram em uma colisão entre dois carros na madrugada de hoje na BR-472, em Boa Vista do Buricá, a 468 quilômetros de Porto Alegre. O motorista do outro veículo também morreu.

A família morava em Cachoeira do Sul, no centro do Estado, e viajou para a região para contar aos parentes da gestação do segundo filho, descoberta nesta semana. Há quatro dias, Joenara Knüppe, 31, comemorou nas redes sociais a novidade, em uma postagem com o filho e o marido, Rodrigo Cesar de Barros Padilha, 32. "Depois de um bom tempo tentando (quase 3 anos) em breve seremos pais [representado por figurinhas]".

O carro da família, um Cruze, invadiu a pista contrária e se chocou com uma caminhonete S10. O casal e o filho, Luis, chegaram a Boa Vista do Buricá na quinta-feira e, inicialmente, visitou a mãe de Joenara. No sábado, eles foram até Três de Maio, onde comemoraram o aniversário da irmã de Joenara, com uma festa à fantasia entre amigos e parentes próximos.

"Eles estavam bem felizes, divertiram-se bastante. Os dois eram muito engraçados", disse o cunhado de Joenara, Márcio André Rosa da Silva, 32. O acidente aconteceu quando eles voltavam para a cidade Boa Vista do Buricá, após a festa.

Joenara era proprietária de uma estética em Cachoeira do Sul, já Padilha era gerente de uma empresa do setor de agronegócio na mesma cidade. Segundo o cunhado, os dois se conheceram há mais de dez anos e se casaram em 2013.

A família morava desde março de 2019 em Cachoeira do Sul. Antes eles residiram por cinco anos em Santa Rosa, no noroeste do Estado. Em outra postagem nas redes sociais, Joenara agradeceu pela família que tinha. "Dizem que não se pode ter tudo na vida, mas sem dúvida eu tenho TUDO: meu amor verdadeiro, meu filho lindo e cheio de saúde, uma família que me apoia e meu trabalho/sonho que amo demais. Obrigada Amor por estar sempre aqui por nós."

A família será velada na Capela Mildner, em Boa Vista do Buricá, mas o horário ainda não está definido. Também não se sabe ainda quando será o sepultamento.

Investigação

Conforme o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF) de Ijuí, o Cruze da família teria invadido a pista contrária e colidido com a S10, com placas de Santo Ângelo, que era conduzida por José Orlando Gontijo Tavares, 74, também morto no acidente.

Segundo a PRF, o Samu (Serviço de Atendimento Móvel) foi acionado e tentou salvar duas vítimas feridas - o menino de 5 anos, que estava na cadeirinha, e o motorista da S10 -, mas elas acabaram morrendo a caminho do hospital.

O delegado João Vittório Barbato, responsável pela investigação, afirmou que ainda não é possível afirmar qual a velocidade dos carros no momento da colisão. No local, a máxima permitida é 100 km/h. Entretanto, Barbato disse que a batida foi "muito violenta" a ponto de arrancar o motor da S10.

Os dois veículos vão passar por perícia. Questionado se algum dos veículos poderia estar a 180 km/h, o delegado disse achar "pouco provável" e lembrou que, em uma colisão frontal, as velocidades se somam.

Além da perícia nos veículos, o delegado aguarda os laudos de necropsia nos corpos dos dois motoristas, que podem indicar a presença de alguma substância no sangue, como, por exemplo, álcool ou drogas. Os dois laudos devem ficar prontos em pelo menos 15 dias.

Notícias