Topo

CREA faz vistoria em marquise de prédio que desabou e matou jovem

São Paulo

14/11/2019 17h40

O Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (CREA) vistoriou na manhã desta quinta-feira, 14, a marquise que desabou na noite desta quarta-feira, 13, na Rua Bela Cintra 1.786, na altura da Alameda Tietê. O desabamento matou um jovem de 18 anos e deixou outro ferido. O local é um prédio residencial.

A vítima fatal foi identificada como Thiago Nery, de 18 anos, e não era morador do prédio. Ele foi velado nesta quinta-feira, 14, em Laranjal Paulista, interior de São Paulo. Também estava no local João Portugal, que foi socorrido e levado ao Hospital Sírio-Libanês. Ele quebrou quatro costelas e o tornozelo.

Após o desabamento, a Defesa Civil esteve no local para avaliar o que pode ter causado a queda da marquise e foram identificadas infiltrações e reparos precários, mas ainda não é possível relacionar esses itens à queda. A Defesa Civil descartou risco de dano estrutural ao prédio.

A marquise, que aparentava ter cerca de 15 metros de comprimento, cobria toda a entrada do edifício residencial. Com o desabamento, parte da estrutura ficou apoiada sobre um dos muros do condomínio e outra, atingiu o solo na área em que os jovens estavam.

A vítima fatal, Thiago Nery, era aluno do Colégio Santa Cruz. Em nota, a escola afirmou que alunos, familiares e educadores receberam a notícia do falecimento com profunda tristeza. João Portugal, que ficou ferido, também é aluno do colégio. Eles estavam no último ano do ensino médio. As aulas foram suspensas nesta quinta-feira para alunos do ensino médio da escola.

Notícias