Topo

Após Lula ser solto, EUA dizem confiar em instituições democráticas do Brasil

O ex-presidente Lula é cercado por apoiadores ao deixar a prisão em Curitiba - DENIS FERREIRA NETTO/ESTADÃO CONTEÚDO
O ex-presidente Lula é cercado por apoiadores ao deixar a prisão em Curitiba Imagem: DENIS FERREIRA NETTO/ESTADÃO CONTEÚDO

Em Washington

09/11/2019 13h26

Resumo da notícia

  • Os Estados Unidos se manifestaram um dia após a soltura de Lula
  • O Departamento de Estado norte-americano divulgou um comunicado
  • A nota citou que teve conhecimento de que o ex-presidente deixou a prisão
  • "Temos confiança nas instituições democráticas do Brasil", diz a nota

Os Estados Unidos manifestaram hoje confiança nas instituições democráticas do Brasil após a soltura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que ficou 580 dias preso em Curitiba por corrupção passiva e lavagem de dinheiro pelo caso do tríplex do Guarujá (SP).

"Temos confiança nas instituições democráticas do Brasil", disse o Departamento de Estado americano em comunicado.

A nota ressalta que Washington teve conhecimento de que Lula "foi solto após uma decisão do Supremo Tribunal Federal do Brasil" e a classificou como "um assunto interno" do país sul-americano.

Lula, de 74 anos, deixou ontem a sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba após o STF, em sessão realizada no dia anterior, mudar de entendimento sobre a prisão de condenados em segunda instância, passando a considerar que eles só podem ser encarcerados após o esgotamento de todos os recursos.

O ex-presidente responde a nove processos na Justiça, todos relacionados com casos de corrupção, e já foi condenado em dois.

Lula, que se diz vítima de uma "perseguição judicial e política", estava preso desde abril de 2018.

Notícias