Topo

Southwest e American Airlines não operarão com Boeing 737 Max até março

08/11/2019 23h08

Nova York, 8 nov (EFE).- A Southwest Airlines não operará com aviões Boeing 737 Max até 6 de março do ano que vem, atrasando mais do que qualquer outra companhia aérea o retorno do modelo, enquanto a American Airlines fará o mesmo até o dia anterior.

A decisão vem em um momento em que o sindicato dos comissários de bordo da Southwest Airlines cogita processar a Boeing por perda de salários como resultado da paralisação prolongada dos 737 Max.

Os pilotos da companhia já processaram a Boeing no mês passado porque entende que US$ 100 milhões em salários foram perdidos devido à situação.

A frota da Southwest Airlines é totalmente composta por Boeing 737. Milhares de voos tiveram que ser cancelados como resultado e vuelos como resultado de la conexión a tierra.

A companhia é o maior cliente destas aeronaves nos EUA e tem 34 na frota. As autoridades aéreas tomaram a decisão de não permitir que o modelo voasse após dois acidentes fatais.

A Boeing ficou sob pressão crescente no final de outubro, após a divulgação de documentos detalhando que os engenheiros expressaram preocupação com o sistema de voo (MCAS) defeituoso antes dos dois acidentes, que mataram 346 pessoas no total.

A American AirLines também disse que qualquer cliente que tenha reservado previamente um voo em um 737 Max até 4 de março terá a reserva atualizada.

Os acidentes dos voos 610 da Lion Air, em outubro de 2018, e 302 da Ethiopian, em março deste ano, provocaram uma crise na empresa, que interrompeu as entregas do 737 MAX, vetado nos espaços aéreos de praticamente todo o mundo. EFE

Notícias