Topo

MPF cobra explicações de secretário após fala sobre "peixe inteligente"

O empresário e secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior, em foto de 2018 - Reprodução
O empresário e secretário de Aquicultura e Pesca, Jorge Seif Júnior, em foto de 2018 Imagem: Reprodução
do UOL

Do UOL, em São Paulo

08/11/2019 15h07

O Secretário de Pesca Jorge Seif foi notificado esta semana pelo MPF (Ministério Público Federal) para dar explicações sobre ter dito que a população poderia consumir peixes e frutos do mar em regiões atingidas pelo óleo, no litoral do Nordeste.

Seif, em duas ocasiões distintas ao longo das duas últimas semanas, declarou que o peixe é "um bicho inteligente" e que foge das manchas de óleo — portanto, estaria apto a ser consumido, sem contaminação.

Em ofício enviado nesta terça ao secretário, o MPF afirmou que tanto a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) quanto o Instituto Ageu Magalhães (IAM) e o Laboratório de Saúde Ambiente e Trabalho (Lasat) não recomendam a ingestão de peixes e crustáceos pescados em áreas atingidas pelo óleo.

O órgão concedeu a Seif 48h para que explique quais estudos utilizou para divulgar a liberação do consumo para a população. Em resposta, o secretário pediu mais 48h para retornar.

"Vamos aguardar um pouco mais, embora imaginávamos que os estudos técnicos já estavam prontos e, portanto, bastava enviá-los ao Ministério Público Federal", afirmou o procurador da República Ramiro Rockenbach.

A primeira fala do secretário foi durante a live semanal do presidente Jair Bolsonaro no Facebook, na última semana. Já na live de ontem, Seif voltou a repetir a argumentação: "Se o peixe tem sexto sentido, bola de cristal, olfato apurado ou inteligência, fato é que ele desvia da mancha".

Mais de dois mil quilômetros de extensão do litoral nordestino foram atingidos pelas manchas de óleo, que começaram a surgir no fim de agosto. Ao menos 409 localidades e 104 municípios de todos os nove estados da região foram afetados.

Notícias