Topo

Grupo de policiais organiza motim em quartel na Bolívia

08/11/2019 20h23

La Paz, 8 nov (EFE).- Um grupo de policiais realiza um motim em um quartel na cidade boliviana de Cochabamba nesta sexta-feira, em protesto contra o governo do presidente, Evo Morales, que ainda não emitiu um pronunciamento oficial sobre o assunto.

As imagens da televisão mostram os agentes no teto do quartel, enquanto cantam o hino nacional com bandeiras bolivianas. Do lado de fora, eles são aclamados por civis. Esses policiais pertencem à Unidade de Operações Táticas de Polícia (UTOP) da delegacia de polícia da Avenida Heroínas, em Cochabamba, no centro da Bolívia.

Um representante do grupo, com o rosto coberto, saiu do quartel para declarar que a intenção dos policiais é "mostrar à opinião pública que não se trata apenas de um grupo, e sim todo o efetivo de Cochabamba em repúdio a este governo" que, segundo ele, "não dá atenção (a eles) há 14 anos".

"Não nos dá importância. Isso não é um grupo pequeno, é todo o efetivo policial. É o que posso informar por enquanto", explicou em breve declaração.

Segundo a mídia, os agentes também exigem a demissão do comandante da Polícia Boliviana de Cochabamba, Raúl Grandy, cuja atuação diante da crise no país tem sido criticada.

O motim ocorre em meio à crise política e social que a Bolívia atravessa desde as recentes eleições, que tiveram em Cochabamba alguns dos protestos mais violentos registrados no país há mais de duas semanas.

O presidente do país, Evo Morales, convoca os seguidores a defenderem o triunfo que eleitoral nas eleições de 20 de outubro e descreve como tentativa de golpe de Estado as denúncias de fraude feitas pela oposição.

Os opositores do presidente, que está no poder há quase 14 anos, exigem a renúncia de Morales, a anulação das eleições e a convocação de um novo pleito. EFE

Notícias