Topo

Bilionários ficam menos ricos em 2018

08/11/2019 16h58

Fortuna dos mais ricos do mundo diminui pela primeira vez desde 2015, devido à desaceleração da China e volatilidade do mercado de ações. No Brasil, porém, patrimônio de bilionários cresceu.Os bilionários do mundo ficaram menos ricos em 2018, de acordo com um relatório conjunto do banco de investimentos UBS e da consultoria PwC. Turbulências geopolíticas e mercados de ações voláteis foram apontados como os principais responsáveis pela primeira redução de riqueza dos bilionários desde 2015.

O relatório, divulgado nesta sexta-feira (08/11), apontou que a riqueza dos bilionários caiu 4,3% globalmente e atingiu a soma de 8,5 trilhões de dólares no ano passado – incluindo um forte declínio na China, em Hong Kong e na região da Ásia-Pacífico.

Os pesquisadores atribuíram grande parte da queda da riqueza no ano passado a um dólar americano forte, a atritos comerciais e à volatilidade do mercado financeiro. Os mercados financeiros caíram acentuadamente no final de 2018, mas já se recuperaram, o que significa que os percalços dos bilionários devem durar pouco tempo.

"A explosão dos bilionários dos últimos cinco anos passou por uma correção natural", disse Josef Stadler, responsável na UBS pela cartela dos clientes com patrimônio líquido ultra-alto. "No entanto, está claro que os negócios bilionários continuam prosperando. Os bilionários estão criando e dirigindo negócios que superam consistentemente o mercado de ações."

Ao todo, 103 pessoas que eram bilionárias em 2017 deixaram de ser em 2018, e outras 56 passaram a ter patrimônio acima de 1 bilhão de dólares no ano passado.

A China, cujo crescimento fez o país ter o segundo maior grupo de bilionários do mundo atrás somente dos Estados Unidos, viu sua economia desacelerar no ano passado. A desaceleração fez o patrimônio líquido dos bilionários chineses cair 12,3%. O número de bilionários chineses caiu de 373 para 325.

Na região da Ásia-Pacífico, o número de bilionários caiu 7,4% e soma agora 753 indivíduos. Na Europa, Oriente Médio e África, a riqueza caiu quase 6,8% para 2,4 trilhões de dólares.

O número de bilionários caiu em todo mundo, exceto no continente americano, onde os bilionários tiveram um aumento de 0,1% no valor de suas fortunas, principalmente devido ao sucesso dos empreendimentos no setor de tecnologia dos EUA.

A Alemanha, que depois dos EUA e da China possui o maior número de bilionários do mundo, também registrou uma queda – de 123 para 114 indivíduos. Seu total de ativos encolheu mais do que o de seus pares internacionais – de 579 bilhões para cerca de 501 bilhões de dólares.

O relatório apontou a "falta de inovação e de correr risco" como responsáveis pelo fato de apenas quatro empresários alemães terem chegado ao seleto grupo dos bilionários.

Os dados da UBS e da PwC, entretanto, mostraram que houve um aumento no número de mulheres entre os bilionários. O número de mulheres bilionárias cresceu 46% em cinco anos. Atualmente, existem 233 bilionárias no mundo, contra 160 em 2013.

No Brasil, houve um aumento no número de bilionários entre 2017 e 2018, de 42 para 58 – um crescimento de 38,1%. O total líquido dos bilionários brasileiros saltou de 176,7 bilhões para 179,7 bilhões de dólares.

PV/rtr/dw

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube
| App | Instagram | Newsletter

Notícias