Topo

Lula diz que Polícia Federal entrou em sua cela às 6h: "Palhaçada comigo"

Lula dá entrevista na sede da Polícia Federal, em Curitiba (PR) - Reprodução/YouTube
Lula dá entrevista na sede da Polícia Federal, em Curitiba (PR) Imagem: Reprodução/YouTube
do UOL

Nathan Lopes

Do UOL, em São Paulo

07/11/2019 08h36Atualizada em 07/11/2019 13h03

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que a PF (Polícia Federal) entrou na sala em que está preso em Curitiba na manhã de terça-feira (5) para que ele prestasse depoimento.

Em entrevista ao "Blog da Cidadania", o petista criticou a ação. "Ainda ontem [terça] fizeram uma palhaçada comigo. Você acredita que ontem entraram na cela que eu estou às 6 horas da manhã? Como se estivessem fazendo uma coerção", comentou.

A ação da PF fazia parte das investigações sobre doações ilícitas de mais de R$ 40 milhões do grupo J&F, controlador do frigorífico JBS, ao MDB em 2014. O esquema envolveria o PT e a candidatura da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) à reeleição.

Em nota ao UOL, o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins, disse que a intimação de Lula "afronta o devido processo legal, inclusive nas suas vertentes do contraditório e da ampla defesa". Lula foi intimado às 6h para prestar um depoimento às 10h "sem que sua defesa tivesse conhecimento da investigação e do conteúdo dos autos do inquérito policial correspondente", disse Zanin.

Para o defensor, "a medida ganha ainda mais gravidade na medida em que Lula está preso injustamente e impossibilitado de fazer contato com os seus advogados a qualquer momento". A reportagem aguarda um posicionamento da PF a respeito do caso.

Assim como Lula, também foram intimados a prestar depoimento os senadores Renan Calheiros (MDB) e Eduardo Braga (MDB), entre outros.

Os investigadores chegaram a pedir a prisão de Dilma, mas o STF (Supremo Tribunal Federal) negou. Em nota, a ex-presidente disse que "sempre colaborou com investigações e jamais se negou a prestar testemunho perante a Justiça Federal, nos casos em que foi instada a se manifestar."

O Supremo também barrou os pedidos para prender o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega (PT) e os ex-senadores Valdir Raupp (MDB) e Eunício Oliveira (MDB). A PGR (Procuradoria Geral da República) também se posicionou contra as prisões, solicitadas pela PF.

Lula está preso desde abril de 2018 na Superintendência da PF (Polícia Federal) em Curitiba.

Assista, abaixo, ao trecho em que Lula reclama da abordagem da PF:

Notícias