Topo

Apesar dos distúrbios, Chile confirma que sediará cúpula da APEC e COP25

19.out.2019 - Manifestante em frente a um tanque militar nas ruas de Santiago, no Chile - Martin Bernetti/AFP
19.out.2019 - Manifestante em frente a um tanque militar nas ruas de Santiago, no Chile Imagem: Martin Bernetti/AFP

21/10/2019 15h22

Santiago (Chile), 21 out (EFE).- A ministra porta-voz do governo do Chile, Cecilia Pérez, afirmou nesta segunda-feira que os planos de sediar a próxima reunião da APEC e a COP25 "não foram alterados" apesar dos violentos distúrbios que tomaram conta das ruas do país desde a sexta-feira passada e que já causaram pelo menos 11 mortes.

A escassa margem de tempo entre o início dos protestos e a realização de ambas as cúpulas gerou dúvidas sobre a capacidade da capital chilena de receber eventos desta envergadura.

A cúpula da Cooperação Econômica Ásia-Pacífico (APEC) será realizada em Santiago de 11 a 17 de novembro. Já confirmaram presença no evento os presidentes da China, Xi Jinping; e da Rússia, Vladimir Putin, entre outros líderes. Outro nome aguardado é o do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Em dezembro, entre os dias 6 e 13, a capital chilena receberá a 25ª edição da Convenção-Quadro sobre a Mudança Climática da ONU (COP25), o maior evento já organizado pelo país e que contará com uma grande quantidade de líderes mundiais.

Pérez explicou que os manifestantes violentos que ocasionam os distúrbios estão organizados e respaldou a atuação das Forças Armadas em todas as regiões do país nas quais assumiram a segurança após o estado de emergência ser decretado.

Notícias