Topo

Santiago terá toque de recolher pelo segundo dia consecutivo

20/10/2019 18h02

Santiago, 20 out (EFE).- O chefe de Defesa Nacional do Chile, major-general Javier Iturriaga del Campo, encarregado pela ordem pública durante o estado de emergência, ordenou neste domingo um novo toque de recolher em Santiago "para proteger a vida de todos", diante do agravamento dos distúrbios, que deixaram três mortos.

O novo toque de recolher, que se soma ao determinado ontem, terá início às 19h (hora local) e irá até às 6h (hora local) de amanhã, após o aumento de barricadas, incêndios e saques, em meio a protestos contra a fome e desigualdade social no país.

Iturriaga disse ter decidido tomar essa medida para salvaguardar a segurança da cidadania e "proteger a vida de todos". Além disso, ele pediu aos cidadãos que voltem para casa para descansar e amanhã começar a semana da melhor maneira possível.

"Estou convencido de que isso é a coisa certa a fazer para proteger a vida das pessoas, proteger os cidadãos. A imensa maioria quer viver em paz", disse.

O toque também acontecerá em Concepción, mas a partir das 22h (hora local), enquanto ainda não foi confirmado se ele será estendido para outras quatro regiões que se encontram total ou parcialmente em estado de emergência pelos distúrbios violentos no país desde a última sexta-feira, como Valparaíso, Coquimbo, Bío-Bío e O' Higgings.

Até o momento, o saldo é de três mortos nos distúrbios em Santiago. De acordo com o ministro do Interior, Andrés Chadwick, na madrugada de hoje, duas pessoas foram baleadas durante incidente na comuna de Puente Alto. EFE

Notícias